close
AlimentaçãoMetabolismo

Alimentos reguladores – Saiba quais são e seus benefícios

Uma dieta balanceada é essencial para uma boa saúde porque fornece nutrientes que seu corpo depende para funcionar adequadamente, e os alimentos reguladores são fundamentais nesse processo.

Aliás você sabe quais são os alimentos reguladores e como eles beneficiam sua saúde?

Neste artigo listei os benefícios de cada grupo de alimentos reguladores.

Gostou desse tema?

Leia, comente e compartilhe.

Alimentos Reguladores

É do conhecimento de todos que os alimentos têm várias funções em nossos corpos. Entre eles estão:

  • Crescimento e desenvolvimento
  • Músculos
  • Ossos e dentes
  • Energia
  • Corpos saudáveis
  • Combate a doença
  • Benefícios para o cérebro
  • Órgãos saudáveis

E os alimentos reguladores são justamente os alimentos responsáveis por regular as funções do corpo. Ou seja, os alimentos reguladores são aqueles ricos em vitaminas, fibras, minerais e água.

Afinal, é por meio desses elementos presentes nos alimentos reguladores, que os sistemas do nosso corpo é acionado.

Diante dessas informações sobre os alimentos reguladores, fica fácil saber quais grupos alimentares são reguladores, não é mesmo?

Pois bem, os alimentos reguladores são frutas, verduras, legumes e água.

Todos esses grupos alimentares são indispensáveis para o bom funcionamento do seu corpo e manutenção da saúde.

Alimentos Reguladores – Frutas

Comer frutas regularmente beneficia seu corpo, pois são fontes naturais de vitaminas e minerais, que são essenciais para o bom funcionamento do corpo.

Rica em fibra dietética, as frutas ajudam a melhorar o funcionamento do trato digestivo, reduzindo assim as chances de constipação e diverticulose (1, 2) .

Frutas são alimentos reguladores
Frutas são alimentos reguladores

Além disso, as frutas são uma parte importante de uma dieta saudável, pois fornecem muita energia sem acrescentar calorias desnecessárias.

Frutas contêm o mínimo de sódio e gorduras nocivas, por isso são saudáveis ​​para o coração.

As frutas são ricas em potássio, o que é importante para manter a pressão sanguínea regulada.

A vitamina C, um poderoso antioxidante, é abundantemente encontrada em frutas, precisamente frutas cítricas (3, 4).

Por isso, a vitamina C é muito consumida para o resfriado comum, cicatrização de feridas, pele saudável, dentes, gengivas e acima de tudo, para manter o sistema linfático saudável.

Por fim, as frutas são uma rica fonte de ácido fólico, que é o nutriente mais importante para as mulheres grávidas. Sabe-se que o folato reduz o risco de defeitos do tubo neural, anencefalia e espinha bífida que ocorrem durante o desenvolvimento fetal (5, 6).

Alimentos reguladores – Vegetais

Rico em uma série de nutrientes úteis e poderosos antioxidantes, os vegetais devem ser incluídos na dieta diária (7).

Isso porque, legumes fornecem grandes quantidades de vitaminas, incluindo folato, vitamina A , K e vitamina B6, bem como carotenóides como beta-caroteno em cenoura, licopeno em tomate, zeaxantina de vegetais verdes e luteína de espinafre e couve (7, 8, 9).

Legumes e Verduras também são alimentos reguladores
Legumes e Verduras também são alimentos reguladores

Além do mais, as saladas verdes são embalados com importantes nutrientes e fitoquímicos que suportam o máximo benefício para o nosso dia-a-dia vegetal requisito.

De acordo com um estudo recente, alimentos à base de plantas contêm antioxidantes (polifenóis) que podem melhorar o açúcar no sangue em pessoas com risco de diabetes e doenças cardíacas.

Legumes têm níveis abundantes de antioxidantes que previnem problemas cardiovasculares e o crescimento de células cancerígenas, por exemplo.

Além disso, os antioxidantes aumentam a imunidade e previnem infecções e doenças.

A maioria dos vegetais verdes, amarelos e alaranjados também tem uma alta porcentagem de cálcio, potássio, ferro, magnésio, complexo de vitamina B, vitamina A, vitamina C, vitamina K , entre outras.

Enquanto isso, os vegetais verde-escuros têm muitos antioxidantes e minerais flavonóides fenólicos (10).

Vegetais de folhas verdes têm propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias e anticancerígenas. Quercetina também efetivamente reduz o fluxo de substâncias que levam a alergias.

Os vegetais são abundantes em fibras alimentares solúveis e insolúveis, conhecidas como polissacarídeos não-amiláceos (NSP). Esta fibra dietética absorve a água extra no seu cólon e, assim, retém o teor de umidade na matéria fecal.

Por isso, que comer vegetais ricos em fibras mantém seu sistema digestivo limpo e saudável, ajudando a evitar problemas como constipação, diarreia, irregularidade intestinal, câncer de cólon e até mesmo pólipos.

Água e vitaminas dos vegetais

Além disso, legumes também ajudam na prevenção de hemorroidas e fissuras retais. Uma vez que eles têm alto teor de fibras, os vegetais também tendem a fazer com que você se sinta satisfeito por mais tempo, além de evitar lanches desnecessários, ajudando assim na perda de peso .

E mais, vegetais naturalmente têm altos níveis de água. Esta é a razão pela qual eles são geralmente livres de gordura e baixa em calorias.

Assim, uma dieta rica em vegetais aumenta a ingestão de água e ajuda na liberação de toxinas do corpo.

Os vegetais de folhas verdes, por exemplo, são ricos em magnésio e têm um baixo índice glicêmico, provando ser útil para pacientes com diabetes tipo 2. Por isso, se você comer pelo menos uma porção de vegetais de folhas verdes por dia, isso diminuirá consideravelmente os riscos de diabetes (11, 12).

Vegetais verdes também são ricos em ferro e cálcio, exceto acelga e espinafre, uma vez que são ricos em ácido oxálico.

Sem contar que vegetais são riquíssimos em vitaminas. O alto nível de vitamina K em vegetais faz deles uma maneira ideal e natural de prevenir problemas ósseos (13, 14).

Isso porque, a vitamina K é necessária para a produção de osteocalcina, uma proteína obrigatória para a saúde óssea adequada.

Por fim, os vegetais verdes têm altos níveis de beta-caroteno, que melhoram consideravelmente a função imunológica quando convertidos em vitamina A.

Os tomates, por exemplo contêm licopeno, que protege seus olhos dos problemas de visão.

Uma dieta deficiente em vegetais verdes geralmente leva às possibilidades de cegueira e outras doenças.

já o alho, cebola, cebolinha, alho-poró e cebolinha são ricos em sulfatos de alilo que ajudam na redução da pressão arterial elevada e protegendo o estômago e o trato digestivo de doenças fatais como o câncer.

Alimentos reguladores – Água

A água é um componente essencial do nosso corpo e desempenha um papel vital na manutenção de quase todos os principais sistemas de órgãos do corpo. Por isso, entra na lista de alimentos reguladores.

Todas as formas vivas, em uma ou outra forma, requerem água para suas atividades metabólicas (15).

Ela desempenha um papel vital em nosso corpo e é impossível imaginar a existência de um indivíduo sem água.

Afinal, a água:

  • Melhora os níveis de energia e imunidade
  • Aumenta o desempenho físico
  • Melhora a função cerebral e previne dores de cabeça
  • Limpa Toxinas
  • Ajuda na perda de peso
  • Promove cuidados com a pele
  • Alivia a constipação (16)
  • Melhora a função renal
  • Previne Doença Cardíaca

De fato, inserir esses alimentos na sua dieta é fundamental.

Uma opção para você colocar e prática são os sucos antioxidantes. Selecionei as melhores receitas neste livro.

Sucos com alimentos reguladores
Receitas de suco com alimentos reguladores

Abraços e fique com Deus!

Juliano Pimentel

O Que Achou do Artigo? Deixe Sua Opinião Abaixo:
Tags : alimentos antioxidantesalimentos reguladoresAlimentos Rico em FibrasAlimentos ricos em antioxidantesalimentos ricos em vitamina Calimentos ricos em vitamina Kalto teor de vitaminasantioxidantesbenefícios das fibrasdiabetes tipo 2dr. juliano pimentelfrutaslegumesmineraisminerais essenciaispotássiosaúdevegetaisverduras

Autor Dr. Juliano Pimentel

Olá, eu sou o doutor Juliano Pimentel. Médico, fisioterapeuta e coach que ajuda as pessoas com conteúdos sobre saúde, alimentação e emagrecimento. Também sou celíaco e tenho uma vida de pesquisa sobre o Glúten.

Enviar Resposta