close
AlimentaçãoDores

Compulsão Alimentar tem tratamento?

Compulsão alimentar tem tratamento?

A compulsão alimentar é um problema muito sério de saúde, e uma das principais razões que impedem o emagrecimento de algumas pessoas. E não se engane, isso prejudica outros aspectos da saúde e precisa de atenção.

O transtorno alimentar compulsivo é um tipo de transtorno alimentar que pode afetar tanto crianças quanto adultos, e que pode desencadear outros problemas de saúde.

Não deixe de ler e compartilhar.

Compulsão Alimentar e os Sintomas

Alguns sintomas que acompanham a compulsão alimentar:

  • Perda de controle sobre quantidade dos alimentos
  • Bem como, perturbação emocional em episódios de compulsão
  • Comer mais rapidamente do que o normal
  • Assim como, comer até sentir desconforto estomacal
  • Comer grandes quantidades de alimentos mesmo estando sem fome, por exemplo
  • Comer sozinho por sentir vergonha da quantidade ou do que está comendo
  • Esconder alimentos para comer sem ninguém saber
  • Por fim, falta de saciedade, não importa a quantidade de alimento consumido
Tratamento de Compulsão Alimentar:
Tratamento de Compulsão Alimentar: Sintomas. Imagem: (Divulgação)

Comer compulsivamente aumenta as chances de obesidade, doença cardíaca, diabetes e hipertensão, aumento da ansiedade, bem como, depressão e irritabilidade, insônia, doença da vesícula biliar, dores musculares e articulares.

Veja algumas dicas que irão te ajudar a controlar a compulsão.

Compulsão alimentar tem tratamento?

A compulsão alimentar tem tratamento sim, e pode ser feito de várias maneiras, bem como a associação de vários tratamentos.

1. Terapia e Ajuda Profissional

Primeiramente, é importante não enfrentar esse problema sozinha!

Várias formas de terapias profissionais ajudam que está lutando com a compulsão alimentar.

Além disso a terapia pode ajudar a abordar problemas emocionais subjacentes, e crenças profundas que não têm nada a ver com os alimentos, mas ainda geram o desejo de comer demais.

A terapia profissional pode ajudar muito quem sofre e luta contra a compulsão alimentar.

Estes incluem tratamento familiar. Ou seja, tratamento focado em adolescentes e adultos, sendo considerado o primeiro tratamento eficaz para tratar o problema, se trata da Terapia Cognitiva Comportamental (TCC).

Sendo assim, ela concentra na interrupção impulsiva e na importância de pensar na determinação de comportamentos.

Ela é eficaz quando realizada em três estágios:

Primeiramente o cognitivo (abordando pensamentos subjacentes).

Bem como, comportamento (comportamentos alimentares estabilizadores)

Por fim, fases de manutenção/prevenção de transposição (estabelece estratégias de longo prazo para lidar com estresse, compulsões e gatilhos) (3).

2. Mantenha Um Plano Alimentar

Como a dieta e a tentativa constante de perda de peso são fatores de risco para a compulsão alimentar, a maioria dos especialistas recomendam aprender a mudar a abordagem primeiramente, para então, gerenciar o peso.

A preocupação excessiva com perda de peso, bem como, obsessão com a contagem de calorias e outros comportamentos restritivos são preocupantes e precisam ser levados à sério.

Tratamento de Compulsão Alimentar:
Tratamento de Compulsão Alimentar: Faça Um Plano Alimentar Com Indicação Médica. Imagem: (Divulgação)

Inclusive, isso aumenta as chances de compulsão alimentar.

É o que eu sempre falo, esqueça as dietas malucas e foque sua energia na reeducação alimentar.

Afinal, mudar verdadeira sua alimentação é algo gerenciável e a longo prazo. Ou seja, naturalmente vai se tornar parte do seu dia-a-dia e você não vai mais precisar ficar se preocupando em contar calorias.

Muitos terapeutas e conselheiros de nutrição agora usam uma forma de comer intuitiva chamada de método “sem dieta”. Usam esse método, para ensinar pessoas com Transtorno Compulsivo Alimentar a reconhecer e responder a sensações de fome física. Assim, além de aprender a regular sentimentos associados à satisfação, ânsias de certos alimentos e comer para o conforto.

Além do mais, um nutricionista pode ajudar a estabelecer um plano alimentar que seja gerenciável a longo prazo, que atenda às suas necessidades de calorias e nutrientes.

Por fim, especialistas em distúrbios alimentares sugerem que comer por razões emocionais, é normal e não é necessariamente uma coisa ruim. Desde que, a comida não se torne a principal fonte de conforto (2,3).

3. Reduza o estresse

Os especialistas concordam que as questões que geram distúrbios alimentares e compulsão alimentar, são comportamentos compulsivos e refletem a incapacidade de lidar com sentimentos. Ou seja, situações e pensamentos difíceis.

O estresse muitas vezes pode desencadear a necessidade de busca por consolo. E os alimentos industrializados cumprem bem esse papel, afinal, estão disponíveis em qualquer supermercado.

Por isso, aprender a lidar com situações estressantes ou emoções difíceis sem descontar na comida pode ser difícil no começo, mas uma das melhores coisas que você pode fazer para aumentar suas chances de recuperação, é estabelecer e praticar várias outras maneiras de acalmar-se e aliviar o estresse.

Então, para reduzir o estresse, invista em exercícios regulares, meditação e ioga. Escute suas músicas preferidas, passe um tempo com outras pessoas, leia ou escreva, ou seja, mantenha passatempos divertidos.

Vale até mesmo experimentar a aromaterapia, a lavanda, por exemplo, é indicada para quem tem altos níveis de estresse e acaba descontando na comida.

Siga essas dicas simples e, de preferência, se consulte com um médico. Um especialista pode orientar e receitar a melhor forma de se livrar da compulsão alimentar e de outros problemas alimentares de acordo com o seu histórico médico.

Ah, não desista de melhorar a sua qualidade de vida, você consegue!

4. Experimente Meditação

Tanto a meditação quanto a yoga podem ser usados ​​para trabalhar a ansiedade, depressão, estresse. Pois, te ajudam a lidar com os sentimentos negativos, aumenta a criatividade, aumenta a felicidade e gratidão e ajuda a regular o sono.

De acordo com o Centro Nacional de Medicina Complementar e Alternativa, a meditação e a yoga podem reduzir a compulsão alimentar, bem como, melhorar a autoestima e até mesmo melhorar aspectos da saúde relacionados à obesidade/excesso de consumo. Incluindo hipertensão, colesterol, açúcar no sangue e níveis de cortisol elevados (4).

No entanto, lembre-se sempre de consultar o seu médico para avaliar a saúde.

Por fim, manter a boa saúde requer mais do que comer alimentos saudáveis, você precisa excluir os alimentos industrializados e embutidos, e buscar um estilo de vida mais saudável como eu mencionei acima.

Por isso, mude a sua realidade e você viverá melhor!

Sucos vegetais no tratamento de compulsão alimentar
Sucos vegetais no tratamento de compulsão alimentar

 

Abraços e fique com Deus!

Dr. Juliano Pimentel.

O Que Achou do Artigo? Deixe Sua Opinião Abaixo:
Tags : alimentosaromaterapiaciclo da compulsão alimentarcomportamento compulsivocompulsãocompulsão alimentardepressãodietadistúrbios alimentaresdoença cardíacadoença da vesícula biliardr. juliano pimentelemagrecer com saúdeEsconder alimentosestressefelicidadehábitos alimentareshipertensãomeditaçãonutriçãonutricionistaobesidadesaúdesintomas físicosTCATCCTerapia Cognitiva Comportamentalterapia profissionalterapias profissionaistranstorno alimentarTranstorno Compulsivo Alimentartranstorno de compulsão alimentartratamentosverãoyoga

The author Dr. Juliano Pimentel

Olá, eu sou o doutor Juliano Pimentel. Médico, fisioterapeuta e coach que ajuda as pessoas com conteúdos sobre saúde, alimentação e emagrecimento. Também sou celíaco e tenho uma vida de pesquisa sobre o Glúten.

2 Comentários

Enviar Resposta