close
AlimentaçãoFitness

Fluoxetina Emagrece Mesmo? Será Que Vale a Pena?

Dr Juliano Pimentel

Já ouviu falar que antidepressivo emagrece, como o FluoxetinaOs nomes comerciais desse medicamento são Prozac, Fluxene, Verotinana ou Eufor 20, mas também é encontrado como genérico.

Trata-se de um antidepressivo oral de até 20 mg, comercializado em forma de comprimido ou gotas. O medicamento também pode ser utilizado para tratar bulimia nervosa. Ou seja, só pode ser tomado sob prescrição médica sob casos clinicamente diagnosticados (1).

Além da depressão e da bulimia nervosa, a fluoxetina também é indicada para casos de ansiedade, transtornos obsessivo compulsivo e transtorno menstrual.

Saiba agora se a fluoxetina emagrece mesmo, e quais os efeitos colaterais dessa medicação.

Não deixe de ler e compartilhar.

Emagrece mesmo?

A fluoxetina não é indicada para tratamentos de emagrecimento. Ele pode causar esse resultado, pois a falta de apetite, e o emagrecimento em si, são um dos efeitos colaterais do medicamento.

O remédio não atua no centro de controle da fome, mas pode ajudar a controlar a ansiedade, que é um dos principais fatores que levam ao apetite compulsivo, mesmo sem fome. O que, consequentemente, resulta na perda de peso.

Isso acontece porque a fluoxetina aumenta os níveis de serotonina, e com isso causa a sensação de bem estar, diminuindo os sintomas de ansiedade, humor e demais problemas já citados.

A serotonina é importante, porque quando seus níveis estão baixos, causa mau humor, irritação, cansaço, sonolência, além de ficar com vontade de comer a todo momento.

O que se pode concluir é que o efeito de perda de apetite está relacionado com a perda de peso. Contudo, em alguns casos o efeito colateral do medicamento pode ser inverso e aumentar o apetite, o que, consequentemente, faz engordar (2).

Por isso o medicamento não é indicado para o emagrecimento, e só deve ser utilizado com prescrição médica.

Reações Adversas da Fluoxetina

Essa medicação, assim como outras, apresenta efeitos colaterais.

Normalmente, a fluoxetina causa muito sono no início do tratamento, o que pode desaparecer durante a continuação do uso.

É preciso cuidado e atenção em relação aos efeitos colaterais.

Mais de 10%  dos pacientes que utilizaram esse medicamento relataram as seguintes reações (3):

– Diarreia;

– Náusea;

– Cansaço e fadiga;

– Perda da força muscular;

– Dor de cabeça ;

– Insônia;

– Palpitações;

– Boca seca;

– Visão turva;

Desconforto gastrointestinal;

– Vômitos;

– Calafrios;

– Sensação de tremor;

– Diminuição de peso;

– Anorexia;

– Distúrbio de atenção;

– Vertigem;

– Alteração no paladar;

– Diminuição do apetite;

– Distúrbio de atenção;

– Sensação de lentidão nos movimentos e raciocínio;

– Vertigem;

– Ansiedade;

– Diminuição do desejo sexual;

– Nervosismo;

– Cansaço;

– Tensão;

– Micção frequente;

– Suor em excesso;

– Perda de cabelo;

– Tendência para equimose aumentada;

– Redução da pressão arterial.

Outras reações que aconteceram de forma rara, também foram relatadas por alguns pacientes. Tais, como:

– Dor no esôfago;

– Reação alérgica generalizada;

– Problemas no sistema nervoso que atingem a boca;

– Convulsão;

– Crise de euforia;

– Estrias roxas na pele;

– Reação de fotossensibilidade;

– Inflamação dos vasos sanguíneos, como vasculite;

– Vasodilatação;

– Lesões avermelhadas na pele.

Os efeitos colaterais desse medicamento apresentam variação de acordo com cada pessoa, pois cada organismo responde de uma maneira às substâncias presente no medicamento. Com isso, algumas pessoas podem sentir muito os efeitos da fluoxetina, enquanto outras podem nem notar as reações.

Contraindicações

Se a pessoa fizer uso de medicamentos Inibidores da Monoaminoxidase (IMAO), a fluoxetina é contraindicada. Nesse último caso, o paciente deverá esperar no mínimo 14 dias após a suspensão do tratamento com IMAO para iniciar o tratamento com o cloridrato de fluoxetina. 

O paciente deverá deixar um intervalo de pelo menos 5 semanas (ou talvez mais, dependendo da avaliação médica; especialmente se este medicamento foi prescrito para o tratamento crônico e/ou em altas doses) após a suspensão do tratamento com cloridrato de fluoxetina, e o início de tratamento com um IMAO ou tioridazina.

O uso combinado deste medicamento com o IMAO pode causar eventos adversos graves, podendo ser fatal (4).

Ele também não deve ser usado por pacientes alérgicos à fluoxetina, ou a qualquer um dos seus excipientes. Além disso, a fluoxetina é contraindicada para mulheres grávidas.

O cloridrato de fluoxetina é excretado no leite humano. Portanto, deve-se ter cuidado quando este medicamento for administrado a mulheres que estejam amamentando.

Em outras palavras, ele não pode ser utilizado de forma compulsiva. É preciso buscar ajuda médica antes de fazer uso da fluoxetina ou de qualquer medicamento.

É importante salientar que não existem milagres quando o assunto é emagrecer. É preciso uma reeducação alimentar, uma busca por alimentação de verdade, associada a exercícios físicos e à mudança nos hábitos.

Abraços e fique com Deus!

Dr. Juliano Pimentel.

 

O Que Achou do Artigo? Deixe Sua Opinião Abaixo:

Você pode Gostar

Tags : antidepressivo emagreceapetite compulsivoautomedicaçãobulimia nervosaDesconforto gastrointestinaldestaquedr. juliano pimentelefeitos colateraisemagrecimentoengordarfalta de apetitefluoxetinaníveis de serotoninaperda de pesosaúdesonotranstornos obsessivo compulsivotratamentos de emagrecimento

The author Dr. Juliano Pimentel

Olá, eu sou o doutor Juliano Pimentel. Médico, fisioterapeuta e coach que ajuda as pessoas com conteúdos sobre saúde, alimentação e emagrecimento. Também sou celíaco e tenho uma vida de pesquisa sobre o Glúten.

2 Comentários

  1. Eu sempre sofri para perder peso e quando conseguia alguns kg, em poucos meses a gordura sempre voltava. Vou procurar seguir essas dicas pra conseguir melhores resultados. Obrigada por compartilhar tanto conteúdo de valor.

Enviar Resposta