https://casinoonlineca.ca/internet-casinos/best-payout/
close

Além do desconforto no seu corpo, os gases intestinais são desconfortáveis também no convívio com outras pessoas. Afinal, você precisa ficar o tempo todo se policiando e segurando para não soltar um pum.

Como sempre falo, nosso corpo se comunica o tempo todo e os gases intestinais também são sinais de que você precisa fazer alguns ajustes na sua alimentação. Afinal de contas, tudo o que passa por sua boca está diretamente ligada ao sistema gastrointestinal.

As causas dos gases variam, algumas são até naturais, no entanto, você pode fazer alguns ajustes para evitá-los. 

Antes de seguir com o conteúdo, quero te convidar para participar do meu grupo no Telegram. Lá você recebe pílulas diárias de saúde e fica por dentro das lives que eu faço diariamente. 

Como se formam os gases intestinais?

Como acabar com gases intestinais.
Como acabar com gases intestinais.

Todas as pessoas produzem gases intestinais regularmente, por um processo biológico normal, chamado fermentação, que acontece durante a digestão dos alimentos. No entanto, quando há excesso de gases eles precisam ser eliminados.

Os gases no estômago são causados ​​principalmente por engolir ar quando você come ou bebe. A maior parte dos gases estomacais é liberada quando você arrota.

O gás se forma no intestino grosso (cólon) quando as bactérias fermentam carboidratos como fibras, alguns amidos e alguns açúcares que não são digeridos no intestino delgado. As bactérias consomem parte desse gás, mas o gás restante é liberado quando você expele gás pelo ânus.

Ou seja, o gás que é passado por flatulência é causado pela incapacidade do corpo de absorver e digerir alguns grupos de alimentos no intestino delgado. Assim que esse alimento não digerido passa para o intestino delgado, as bactérias o decompõem, produzindo hidrogênio, dióxido de carbono e, às vezes, metano. 

O excesso desses gases ocorre principalmente com o consumo de alguns  grupos de alimentos que são mais fermentáveis, como: 

  • Leguminosas como feijão, grão de bico e lentilha; 
  • Vegetais crucíferos como repolho, couve-flor, brócolis e alcachofra, por exemplo;
  • Lactose, que é o açúcar do leite; 
  • Amido como batata, cereais e trigo; 
  • Sorbitol e frutose, que são carboidratos contidos naturalmente em diversos alimentos e muito usados como adoçantes em produtos industrializados; 
  • Fibras, que são carboidratos não digeríveis e também podem sofrer fermentação pelas bactérias intestinais.

Então, quer dizer que você não deve comer esses alimentos?

Não! Parte desses grupos alimentares como as fibras, por exemplo, apesar de aumentar a produção de gás, elas são essenciais para manter o seu trato digestivo em boas condições de funcionamento e regular os níveis de açúcar no sangue e colesterol.

Gases intestinais: quando é um problema?

Os gases intestinais ocorrem naturalmente. No entanto, a flatulência excessiva pode ser causada também pela aerofagia (ingestão de ar em quantidade anormal). 

Além disso, pode estar relacionada a um problema de saúde subjacente que afeta o sistema digestivo como a má digestão, hipocloridria, disbiose, parasitoses e a síndrome do intestino irritável (Sll).

  • Doença intestinal crônica. O excesso de gás costuma ser um sintoma de doenças intestinais crônicas, como diverticulite, colite ulcerativa ou doença de Crohn.
  • Supercrescimento bacteriano do intestino delgado. Um aumento ou alteração nas bactérias do intestino delgado pode causar excesso de gases, diarreia e perda de peso.
  • Intolerâncias alimentares. Pode ocorrer gás ou inchaço se o sistema digestivo não conseguir se decompor e absorver certos alimentos, como o açúcar dos laticínios (lactose) ou proteínas como o glúten do trigo e outros grãos.
  • Prisão de ventre. A constipação pode dificultar a passagem dos gases.

Os gases intestinais em excesso podem ser sinais de algum desses distúrbios. Por isso, fique atento à alimentação e outros sinais do corpo.

Se os gases aumentam quando você consome glúten, por exemplo, é um sinal claro de que você precisa de ajuda para verificar se há evolução de de intestino irritável, ou doença celíaca. Por isso, observe quando a flatulência é mais frequente e com odor mais forte.

Como acabar com os gases intestinais?

Para acabar com os gases intestinais é necessário compreender as causas. Isso porque os gases intestinais nestes contextos são quase nada perto dos problemas mais graves que podem desenvolver.

Pessoas com doença celíaca, por exemplo, se persistirem no consumo de glúten, além dos gases, vai gerar uma inflamação crônica intestinal. Com o tempo pode desenvolver outras doenças devido à inflamação sem falar no desconforto das diarreias constantes. 

Por isso, se os gases intestinais estão te incomodando muito, observe a relação entre eles e o que você come. Além disso, busque ajuda de um profissional para descartar qualquer uma dessas condições. 

Como diminuir os gases

Se você não tem nenhum problema em relação à digestão ou ao intestino, as dicas abaixo vão te ajudar a diminuir os gases intestinais.

Para controlar o desconforto causado pelo excesso de gases é preciso evitar a aerofagia. Sente-se durante cada refeição e coma devagar, além disso, tente não inspirar muito enquanto come e conversa. 

Probióticos são excelentes no tratamento de gases, pois são bactérias capazes de minimizar a fermentação dos carboidratos. Confira aqui os melhores probióticos.

O exercício ajuda a liberar o gás preso e a dor causada pelo gás. Além disso, caminhar após as refeições evita gases. Se você tiver dores de gases, pular corda, correr ou caminhar também são úteis.

Além disso, a ingestão satisfatória de líquidos durante o dia, pode ajudar no controle dos gases intestinais. 

Coma com calma, em ambiente tranquilo, mastigue muito bem os alimentos antes de engolir e não beba líquidos junto das grandes refeições. Pois, esses são fatores essenciais para uma correta digestão e absorção dos nutrientes e, consequentemente, menor produção de gases.

Além disso, você pode diluir uma colher de sopa de vinagre de maçã em uma bebida, como água ou chá. Beba logo antes das refeições ou até três vezes ao dia, pelo tempo necessário para reduzir os sintomas.

Por fim, antes de preparar os alimentos mais fermentados como feijão, lentilha, grão de bico, brócolis, deixe eles de molho por algumas horas. E sempre use uma água nova para o preparo. Enquanto eles estão de molho, o excesso de gases saem e não vão para seu intestino. 

Outras dicas básicas

Mesmo que você não tenha um distúrbio intestinal, evite consumir alimentos à base de trigo e leite animal.

Evite usar adoçantes, pare de mascar chiclete e evite refrigerantes e outras bebidas carbonatadas. Além disso, evite fumar e beber com canudinhos.

Beba de dois a três litros de água por dia e melhore a nutrição do seu corpo através de boas escolhas alimentares e suplementação.

Eu desenvolvi a fórmula do PURE DETOX, um suplemento que vai desinflamar e detoxificar o organismo, promovendo o combate às doenças do estilo de vida e queima de gordura.

Nele você encontra a quantidade de nutrientes ideal para promover a saúde do seu corpo.

Conheça o PURE DETOX

Abraços e fique com Deus. 

Dr. Juliano Pimentel 

🔴 Curta também as redes sociais! 📷Instagram / 👍Facebook / 🎥 YouTube

O Que Achou do Artigo? Deixe Sua Opinião Abaixo:
Tags : constipaçãoFlatulênciagasesgases abdominaisgases intestinais

Autor Dr. Juliano Pimentel

Olá, eu sou o doutor Juliano Pimentel. Médico, fisioterapeuta e coach que ajuda as pessoas com conteúdos sobre saúde, alimentação e emagrecimento. Também sou celíaco e tenho uma vida de pesquisa sobre o Glúten.

Enviar Resposta