close
ArtigosNotícias

Cyberbullying – Violência online contra crianças e adolescentes

cyberbullying é o bullying que ocorre em dispositivos digitais como telefones celulares, computadores e tablets. Em tempos em que cada indivíduo tem a internet na palma de suas mãos, entender o que é este bullying é fundamental para cuidarmos de nossas crianças e adolescentes!

Um em cada três jovens em 30 países disse ter sido vítima de bullying online, com um em cada cinco relatando ter saído da escola devido a cyberbullying e violência. Estes dados são de uma nova pesquisa divulgada pelo UNICEF e pelo representante especial do secretário-geral da ONU sobre Violência contra as Crianças (1).

Ainda sobre a pesquisa…

Falando anonimamente por meio da ferramenta de engajamento de jovens U-Report, quase três quartos dos jovens também disseram que as redes sociais, incluindo Facebook, Instagram, Snapchat e Twitter, são os locais mais comuns para o bullying online.

Embora os adolescentes possam usar as mídias sociais para conectar-se e criar amizades com outras pessoas, eles também enfrentam cyberbullying, trolls, comparações tóxicas, privação de sono e cada vez menos interações face-a-face.

UNICEF e a preocupação como o cyberbullying.

Além disso, muito tempo gasto percorrendo as mídias sociais pode resultar em sintomas de ansiedade e  ou depressão. 

O cyberbullying pode ocorrer por meio de SMS, texto e aplicativos, ou online em mídias sociais, fóruns ou jogos em que as pessoas podem visualizar, participar ou compartilhar conteúdo.

O cyberbullying basicamente inclui o envio, publicação ou compartilhamento de conteúdo negativo, prejudicial, falso ou mau de outra pessoa. Além disso, pode incluir o compartilhamento de informações pessoais ou privadas sobre outra pessoa, causando constrangimento ou humilhação. Ainda pior, algum cyberbullying cruza a linha para um comportamento ilegal ou criminoso.

Quer ficar por dentro de outros conteúdos relacionado a saúde mental e do corpo? Participe do meu grupo no Telegram!

Preocupações Especiais

Com a prevalência de mídias sociais e fóruns digitais, comentários, fotos, postagens e conteúdo compartilhado por indivíduos geralmente podem ser vistos por estranhos e conhecidos. 

O conteúdo que um indivíduo compartilha online, tanto o conteúdo pessoal quanto qualquer conteúdo negativo, mau ou ofensivo, cria um tipo de registro público permanente de suas visões, atividades e comportamento. É simples gente, foi para internet está exposto… mesmo que você apague depois, já era!

Esse registro público pode ser considerado uma reputação online, que pode ser acessada por escolas, empregadores, faculdades, clubes e outros que possam estar pesquisando um indivíduo agora ou no futuro.

O cyberbullying pode prejudicar a reputação online de todos os envolvidos, não apenas a pessoa sendo intimidada, mas também aqueles que praticam o bullying ou participam nele.

O cyberbullying tem preocupações únicas, pois pode ser:

Persistente – Os dispositivos digitais oferecem a capacidade de se comunicar imediata e continuamente 24 horas por dia, portanto, pode ser difícil para as crianças e adolescentes que sofrem o cyberbullying encontrar alívio.

Permanente – A maioria das informações comunicadas eletronicamente é permanente e pública, se não for relatada e removida. Uma reputação online negativa, inclusive para aqueles que sofrem bullying, pode afetar as admissões na faculdade, o emprego e outras áreas da vida.

Difícil de notar – como pais e professores podem não ouvir ou ver o cyberbullying acontecendo, é mais difícil de reconhecer.

Os efeitos da vida real do cyberbullying em crianças

Sentimento de opressão

Ser alvo de cyberbullies é esmagador, especialmente se muitas crianças estão participando do bullying. Às vezes, parece que o mundo inteiro sabe o que está acontecendo. 

Às vezes, o estresse de lidar com o cyberbullying pode fazer com que as crianças sintam que a situação é mais do que conseguem suportar. 

As crianças e adolescentes que sofrem o cyberbullying precisam de apoio

 

Sentimento de vulnerabilidade e impotência

As vítimas do cyberbullying geralmente acham difícil se sentir seguro.  Normalmente, isso ocorre porque o bullying pode invadir sua casa por meio de um computador ou telefone celular a qualquer hora do dia. Diferentemente do bullying tradicional que geralmente acontece na escola, com o cyberbullying eles não têm mais um lugar onde possam escapar. Para uma vítima, parece que o assédio moral está em toda parte.

Além disso, como os agressores podem permanecer anônimos, isso pode aumentar os sentimentos de medo. As crianças visadas não têm ideia de quem está causando dor – embora alguns cyberbullies escolham pessoas que conhecem.

Sentimento de exposição e humilhação

Quando o cyberbullying ocorre, as mensagens, imagens ou textos desagradáveis ​​podem ser compartilhados com multidões de pessoas. O grande volume de pessoas que conhece o bullying pode levar a intensos sentimentos de humilhação.

O cyberbullying geralmente ataca vítimas onde elas são mais vulneráveis. Como resultado, os alvos do cyberbullying geralmente começam a duvidar de seu valor e valor. Sendo assim, eles podem responder a esses sentimentos se machucando de alguma forma (3).
Se uma garota é, por exemplo, chamada de gorda, ela pode começar uma dieta intensiva com a crença de que, se ela alterar sua aparência, o bullying irá parar. Outras vezes porém, as vítimas tentam mudar algo sobre sua aparência ou atitude para evitar o cyberbullying.

Sentimento de irritação e vingança

 Às vezes, as vítimas do cyberbullying ficam bravas com o que está acontecendo com elas, como resultado, elas planejam vingança e se envolvem em retaliação. Essa abordagem é perigosa porque os mantém bloqueados no ciclo de vítimas de intimidação. Aliás, é sempre melhor perdoar um valentão do que se vingar.

Quando o cyberbullying está em andamento, as vítimas geralmente se relacionam com o mundo ao seu redor de maneira diferente das outras. Para muitos, a vida pode parecer sem esperança e sem sentido.
Além disso, elas perdem o interesse pelas coisas que antes desfrutavam e passam menos tempo interagindo com a família e os amigos. E, em alguns casos, podem surgir depressão e pensamentos suicidas.
O cyberbullying é grave e é preciso estar atento.
Se você notar uma mudança no humor do seu filho, faça com que ele seja avaliado por um médico o mais rápido possível.

Sentimento de estar sozinho e isolado

Cyberbullying, por vezes, faz com que os adolescentes a ser excluído e condenado ao ostracismo na escola. Essa experiência é particularmente dolorosa porque os amigos são cruciais nessa idade. Quando as crianças não têm amigos, isso pode levar a mais bullying. 
Além disso, quando o cyberbullying ocorre, a maioria das pessoas recomenda desligar o computador ou o telefone celular. Mas, para os adolescentes, isso geralmente significa interromper a comunicação com o mundo. Seus telefones e computadores são uma das maneiras mais importantes de se comunicar com os outros. Se essa opção de comunicação for removida, eles poderão se sentir isolados e isolados do mundo.
Quando você pede para a criança que está sofrendo o bullying para para de usar intenet, por exemplo, você está o punindo pelo erro dos outros. O ideal é ajudar esta criança, a lidar com a situação que ela está passando.

Sentimento de desinteresse na escola

As vítimas de cyberbullying costumam ter taxas muito mais altas de absenteísmo na escola do que crianças não intimidadas. Elas pulam a escola para não encarar as crianças que os intimidam ou porque ficam envergonhados e humilhados pelas mensagens que foram compartilhadas.
Suas notas também sofrem, porque acham difícil se concentrar ou estudar devido à ansiedade e estresse das causas do bullying. E, em alguns casos, as crianças abandonam a escola ou perdem o interesse em continuar seus estudos após o ensino médio.

Sentimento de ansiedade e depressão

As vítimas do cyberbullying geralmente sucumbem à ansiedade, depressão e outras condições relacionadas ao estresse. Isso ocorre principalmente porque o cyberbullying destrói sua autoconfiança e auto-estima. Além disso, o estresse adicional de lidar com o cyberbullying regularmente diminui seus sentimentos de felicidade e satisfação (4).
Quando as crianças são vítimas de cyberbullying, muitas vezes sentem dores de cabeça, dores de estômago ou outras doenças físicas. O estresse do bullying também pode causar condições relacionadas ao estresse, como úlceras estomacais e doenças da pele.
Além disso, as crianças que sofrem cyberbullying podem sofrer mudanças nos hábitos alimentares, como pular refeições ou compulsão alimentar. E seus padrões de sono podem ser afetados. Eles podem sofrer de insônia, dormir mais que o normal ou experimentar pesadelos.
Por fim, o cyberbullying aumenta o risco de suicídio (5).  As  crianças que são constantemente atormentadas pelos colegas por meio de mensagens de texto, mensagens instantâneas, mídias sociais e outros meios de comunicação, geralmente começam a se sentir sem esperança.
Eles podem até começar a sentir que a única maneira de escapar da dor é através do suicídio. Como resultado, eles podem fantasiar sobre terminar sua vida para escapar de seus atormentadores. Jovens vítimas de cyberbullying têm duas vezes mais chances de tentar suicídio e auto-mutilação.
Se seu filho está sendo vítima de cyberbullying, não descarte seus sentimentos. Certifique-se de se comunicar diariamente, tome medidas para ajudar a acabar com o tormento e acompanhe de perto as mudanças de humor e comportamento. Faça com que seu filho seja avaliado por um profissional de saúde se notar alguma mudança de personalidade.
Para saber mais sobre assuntos relacionados a saúde do corpo, mente e espírito participe do meu grupo no Telegram!

Abraços e fique com Deus!

Dr. Juliano Pimentel.

O Que Achou do Artigo? Deixe Sua Opinião Abaixo:
Tags : adolescenteansiedadebullyingbullying onlinebullying virtualcelularcriançacyberbullyingdepressãoestresseonlinesaúde das criançassaúde de jovenssaúde emocionalsaúde mentalsuicídioviolência criança e adolescente

Autor Dr. Juliano Pimentel

Olá, eu sou o doutor Juliano Pimentel. Médico, fisioterapeuta e coach que ajuda as pessoas com conteúdos sobre saúde, alimentação e emagrecimento. Também sou celíaco e tenho uma vida de pesquisa sobre o Glúten.

Enviar Resposta