close
ArtigosMetabolismo

Depressão e Hidratação – Qual a relação?

Depressão e hidratação, existe relação?

No mês do setembro amarelo não poderia deixar de falar sobre a depressão. Aqui no site já tem alguns artigos falando sobre o assunto, mas dessa vez eu quero falar especificamente sobre a relação da desidratação e a depressão.

Quando falamos em depressão, o primeiro pensamento é a recomendação de profissionais psicólogos e psiquiatra. No entanto, o que leva uma pessoa ao estágio da depressão são diversos fatores, incluindo a alimentação, a prática de exercícios físicos e claro a saúde mental.

Para manter o equilíbrio que é tão falado nos dias atuais, é necessário olhar com atenção para você por inteiro. Por isso, a depressão  e a hidratação estão relacionadas.

Gostou do tema deste artigo? Leia, comente e compartilhe!

Qual a relação da depressão e hidratação

Todo sistema no corpo humano conta com a água para funcionar, e o cérebro não é exceção (1). De fato, cerca de 75% do tecido cerebral é água.

A pesquisa ligou a desidratação à depressão e ansiedade, porque a saúde mental é impulsionada principalmente pela atividade do seu cérebro.

Para encurtar a história, a desidratação faz com que o funcionamento do cérebro desacelere e não funcione adequadamente. É importante pensar na água como um  nutriente que  seu cérebro precisa.

Depressão e Hidratação

Desidratação e depressão estão ligadas de várias maneiras. E de fato, um dos sintomas da desidratação crônica pode ser a depressão (2).

Como a depressão é uma condição multifacetada com várias causas, envolvendo várias partes do corpo, seria exagero dizer que toda a depressão é afetada pela desidratação. No entanto, em muitos casos, a desidratação pode ser um fator contribuinte que vale a pena considerar.

Eu falo isso porque a depressão está frequentemente ligada a níveis insuficientes de serotonina. Ou seja, um importante neurotransmissor que determina em grande parte o humor.

O aminoácido triptofano é convertido em serotonina no seu cérebro. E para que isso aconteça é necessária uma quantidade adequada de água para o triptofano ser transportado através da barreira hematoencefálica.

Portanto, a desidratação limita a quantidade de triptofano disponível no cérebro e, consequentemente, os níveis de serotonina.

Além do efeito negativo da desidratação no triptofano, ele também pode afetar negativamente outros aminoácidos no corpo, contribuindo para sentimentos de desânimo, inadequação, ansiedade, irritabilidade.

Além disso, a depressão e a hidratação estão relacionadas de outras maneiras!

Desidratação aumenta o estresse em seu corpo

A desidratação pode causar estresse, e o estresse pode causar desidratação. Quando estressadas, suas glândulas supra-renais bombeiam cortisol aumentado, o hormônio do estresse (3). Sob estresse crônico, eles podem ficar exaustos.

Suas glândulas supra-renais também produzem o hormônio aldosterona, que ajuda a regular os níveis de líquidos e eletrólitos do seu corpo. À medida que a fadiga adrenal progride, a produção de aldosterona diminui, desencadeando desidratação e baixos eletrólitos.

Depressão e hidratação
Depressão e hidratação

Por isso, beber bastante água pode ajudar a minimizar os efeitos fisiológicos e psicológicos negativos do estresse.

Então, quanta água você deve beber?

Embora a água potável não cure milagrosamente todos os tipos de depressão, pode ser um elo que falta para muitas pessoas que são desidratadas cronicamente. Um senso comum é que um adulto deveria beber cerca de dois litros de água por dia.

No entanto, a necessidade diária ideal de água depende de muitos fatores, incluindo peso, sexo, nível de estresse, doenças e outras condições de saúde, clima e quanto e com que intensidade você se exercita. Alguns dos casos em que a ingestão de água deve ser aumentada incluem:

  • Exercício prolongado ou intenso
  • Clima quente ou úmido
  • Doenças com febre, vômito ou diarreia
  • Condições crônicas de saúde
  • Mulheres grávidas ou amamentando
  • Dietistas

Você pode verificar seu status de hidratação monitorando a cor da sua urina. A urina seria um amarelo muito claro em indivíduos que estão adequadamente hidratados. A urina de cor amarela escura ou marrom indica desidratação. A hidratação adequada é particularmente importante para grupos de alto risco, como idosos, pessoas com diabetes e crianças.

É importante observar que beber outros líquidos, como sucos, café, chá, refrigerante ou álcool, não substitui a água. Água é água e é insubstituível no corpo. De fato, todos esses líquidos podem realmente contribuir para a condição de desidratação no corpo.

Você recebe um pouco de água da comida, principalmente frutas e legumes. Mas mesmo com uma dieta abundante, os alimentos normalmente representam apenas 20% da ingestão total de líquidos.

Desidratação e ansiedade

Assim como a depressão, a desidratação raramente causa ansiedade por si só. Mas não beber água adequada coloca você em risco de aumentar os sintomas de ansiedade agora e, possivelmente, o desenvolvimento de níveis mais altos de ansiedade no futuro.

Em resumo, a desidratação causa estresse e, quando seu corpo está estressado, você experimenta depressão e ansiedade como resultado. Portanto, você deseja garantir uma hidratação adequada diariamente, especialmente se você é naturalmente propenso a ansiedade.

Foi demonstrado que a água tem propriedades calmantes naturais, provavelmente como resultado do tratamento dos efeitos da desidratação no corpo e no cérebro. Por isso, beber água suficiente é um passo importante para gerenciar sua ansiedade. Mesmo se você não estiver sentindo ansiedade, beber água suficiente pode criar sentimentos de relaxamento.

E lembrando que se você sente sintomas de depressão, procure ajuda!

E além da hidratação, mantenha uma boa alimentação.

hidratação e depressão
Hidratação e depressão

Abraços e fique com Deus!

Dr. Juliano Pimentel

O Que Achou do Artigo? Deixe Sua Opinião Abaixo:
Tags : alimentaçãoansiedade e depressãocausas da depressãocombate a depressãodepressãodesidrataçãoHidrataçãoprevenir a depressãosaúdesetembro amarelo

Autor Dr. Juliano Pimentel

Olá, eu sou o doutor Juliano Pimentel. Médico, fisioterapeuta e coach que ajuda as pessoas com conteúdos sobre saúde, alimentação e emagrecimento. Também sou celíaco e tenho uma vida de pesquisa sobre o Glúten.

1 Comentário

  1. Amei muito importante fui aconselhada à beber bastante água.em resumo diagnosticado diverticulose. Fiz mudanças em hábitos alimetares. Excelente matéria .

Enviar Resposta