close

O lúpus eritematoso sistêmico é uma doença inflamatória crônica de causa desconhecida e natureza autoimune, caracterizada pela presença de vários auto anticorpos. Além dos aspectos específicos relacionados ao seu tratamento médico, algumas medidas de apoio, como instruções sobre a doença e atividade física, e a dieta para lúpus, são essenciais para que o paciente viva melhor. 

A dieta para lúpus pode ajudar a controlar os achados inflamatórios da doença, e as complicações derivadas da terapia.

Não deixe de ler e compartilhar!

Dieta para Lúpus 

Considerando que o risco cardiovascular parece aumentar em pacientes com lúpus devido ao aumento da frequência de doenças associadas à aterosclerose, como dislipidemia, diabetes mellitus, síndrome metabólica e obesidade, a orientação alimentar é importante para minimizar essas complicações.

Vale ressaltar que mais da metade dos pacientes apresentam três ou mais fatores de risco para doença cardiovascular, principalmente obesidade.

Uma avaliação brasileira do estado nutricional de 170 pacientes com LES relatou uma prevalência de 1,2% de magreza grau I e 64,2% de excesso de peso (35,9% de sobrepeso; 21,8% de obesidade grau I; 4,1% de grau II obesidade, 2,4% de obesidade grau III).

Assim, é de extrema importância estabelecer estratégias, como programas de incentivo à prática de atividade física e redução do peso corporal, além do aconselhamento nutricional, para reduzir os riscos da síndrome metabólica.

Certos alimentos podem ser melhores que outros para gerenciar os sintomas. Por isso, alterar alguns hábitos alimentares é uma excelente maneira de conviver com o Lúpus.  

Para indivíduos com lúpus o recomendado é o consumo de alimentos ricos em fibras solúveis.

A ingestão diária recomendada é de 38g para homens e 25g para mulheres. O aumento do consumo de fibras é importante para ajudar a prevenir o mau colesterol alto, normalizar os níveis de açúcar no sangue e controlar a dislipidemia(1).

Os pacientes com lúpus também devem estar atentos ao consumo excessivo de açúcar. Isso é crítico, pois vários estudos sugerem que indivíduos com lúpus têm um risco muito maior de desenvolver intolerância à glicose e diabetes tipo II.

Como o Diabetes Tipo II está associado ao aumento da inflamação, seu desenvolvimento em indivíduos com lúpus pode exacerbar ainda mais os surtos de imunidade.

1-Proteína

Proteínas de origem animal são chamadas proteínas completas porque contêm todos os aminoácidos essenciais, enquanto proteínas de frutas, vegetais, grãos e sementes podem não ter um aminoácido essencial (1).

Outras fontes de proteína incluem:

  • Lentilha
  • Amêndoas
  • Frango
  • Ovos
  • Kefir

Para indivíduos com lúpus, é importante considerar o tipo de proteína consumida.

Os peixes proporcionam o benefício adicional de uma boa fonte de ácidos graxos ômega-3.

Os peixes são ricos em ômega-3, por isso, tente comer mais:

  • salmão
  • atum
  • cavalinha
  • sardinhas

Os ômega-3 são ácidos graxos que ajudam a proteger contra doenças cardíacas e derrames. Eles também podem reduzir a inflamação no corpo (3,4).

2- Alimentos ricos em cálcio

Os medicamentos esteroides que você pode tomar para controlar o lúpus podem afinar os ossos. Este efeito colateral torna você mais vulnerável a fraturas.

Para combater fraturas, coma alimentos ricos em cálcio e vitamina D. Esses nutrientes fortalecem os ossos.

Alimentos ricos em cálcio incluem:

  • Kefir e os derivados
  • Salsa
  • Manjericão
  • Rúcula
  • vegetais de folhas verdes escuras como espinafre e brócolis

Pergunte ao seu médico sobre tomar um suplemento se você não está recebendo cálcio e vitamina D suficientes apenas com a comida.

A vitamina D mantém a função imune adequada e diminui a produção de citocinas.

3-Gorduras

Outros alimentos que precisam fazer parte da dieta para Lúpus, são aqueles que possuem as gorduras saudáveis.

Esteroides podem aumentar o apetite e fazer com que você ganhe peso, por isso é importante observar o que você come.

Tente se concentrar em alimentos que aumentam a saciedade.

Prefira peixe, azeite, nozes, abacate e outros tipos de gorduras saudáveis

4-Evite alfafa e alho

Alfafa e alho são dois alimentos que provavelmente não deveriam estar no seu prato se você tiver lúpus. Brotos de alfafa contém um aminoácido chamado L-canavanine.

O alho contém alicina, ajoene e tiosulfinatos, que podem fazer com que o sistema imunológico aumenta demais os sintomas do lúpus.

As pessoas que comeram alfafa reagiram com dores musculares e fadiga, e seus médicos notaram mudanças nos resultados dos exames de sangue.

5-Vegetais

Embora não haja evidências científicas para provar isso, algumas pessoas com lúpus acham que são sensíveis a vegetais. Alguns deles são:

  • Tomate
  • Pimentas doces e quentes
  • Berinjela

Mantenha um diário alimentar para registrar o que você come. Elimine todos os alimentos, incluindo legumes, que causam os sintomas de cada vez que você comê-los.

6-Álcool

O copo ocasional de vinho tinto ou cerveja não é restrito. No entanto, o álcool pode interagir com alguns dos medicamentos que você toma para controlar sua condição.

Beber enquanto estiver tomando medicamentos anti-inflamatórios, por exemplo, pode aumentar o risco de hemorragia no estômago ou úlceras.

O álcool também pode reduzir a eficácia da varfarina e pode aumentar os potenciais efeitos colaterais do metotrexato no fígado .

7-Sem sal

Comer muito sal pode elevar sua pressão arterial e aumentar o risco de doenças cardíacas, enquanto o potássio pode ajudar a combater a pressão alta.

Lúpus já coloca você em maior risco de desenvolver doenças cardíacas. Substitua outras especiarias para melhorar o sabor dos alimentos, tais como

  • limão
  • ervas
  • Pimenta
  • caril em pó
  • açafrão

O lúpus afeta cada pessoa de forma diferente. Uma mudança de dieta que funciona para uma pessoa pode não funcionar para você.

Manter um diário alimentar e ter um diálogo aberto com o seu médico e nutricionista irá ajudá-lo a determinar como os diferentes alimentos ajudam ou prejudicam os seus sintomas.

E para ajudar você que se preocupa com a dieta para Lúpus, ou para prevenir outras doenças e viver melhor, eu convido a adquirir o e-book da minha esposa, Carol Pimentel.

O livro digital contém mais de 70 receitas deliciosas e low carb, desenvolvido para quem deseja ter uma alimentação extremamente saudável focada em eliminar o sobrepeso, evitar problemas de saúde e reverter os danos causados pela má alimentação passada.

Neste livro você vai aprender as melhores receitas de doces e salgados, sem medo de engordar.

Receitas simples e fáceis de preparar, e o melhor de tudo: Super acessíveis!

Clique na imagem abaixo e adquira agora o seu livro digital.

GOSTOSURAS LOW CARB

Abraços e fique com Deus!

Dr. Juliano Pimentel.

O Que Achou do Artigo? Deixe Sua Opinião Abaixo:

Você pode Gostar

Tags : alimentos ricos em fibras solúveisateroscleroseatividade físicaaumento do consumo de fibrascarne vermelhacontrolar a dislipidemiadiabetes tipo IIDieta para Lúpusdr. juliano pimentelgorduras saudáveisGostosuras Low Carbhábitos alimentareslúpus eritematoso sistêmicomau colesterolobesidadeômega-3 são ácidos graxospacientes com lúpusProteínas de origem animal

The author Dr. Juliano Pimentel

Olá, eu sou o doutor Juliano Pimentel. Médico, fisioterapeuta e coach que ajuda as pessoas com conteúdos sobre saúde, alimentação e emagrecimento. Também sou celíaco e tenho uma vida de pesquisa sobre o Glúten.

Enviar Resposta