close
AlimentaçãoArtigosFitness

Dietas Que Restringem Calorias: Podem Ser Perigosas?

Dr Juliano Pimentel

Algumas pessoas que tentam perder peso podem recorrer a dietas que restringem calorias. Mas será que isso pode trazer algum malefício para a saúde? ou é uma atitude saudável? 

Entenda que a dieta e o jejum intermitente são diferentes. No jejum intermitente você restringe as calorias por um tempo limitado e curto, voltando a comer normalmente após isso; os alimentos indicados para o consumo são ricos em nutrientes e saudáveis.

Pesquisas mostram que o jejum intermitente pode até mesmo acelerar o seu metabolismo. Já a dieta que restringe calorias por um período maior de tempo, semanas ou meses.

Este artigo mostra se as dietas que restringem calorias pode beneficiar ou não a sua saúde.

Não deixe de ler e compartilhar.

Dietas que Restringem Calorias

Será que dietas que restringem calorias podem ser prejudiciais?

Uma caloria é definida como a quantidade de energia térmica necessária, para elevar a temperatura de 1 grama de água por 1°C .

No entanto, é mais provável que você pense em calorias como a unidade de medida para a quantidade de energia que seu corpo recebe dos alimentos e bebidas que consome.

Seu corpo precisa de calorias para funcionar, e usa-as para sustentar três processos principais (1):

>> Taxa metabólica basal (BMR): Refere-se ao número de calorias necessárias para cobrir as funções básicas, incluindo o bom funcionamento do cérebro, rins, coração, pulmões e sistema nervoso.

>> Digestão: O corpo usa um certo número de calorias para digerir e metabolizar os alimentos que você come. Isso também é conhecido como o efeito térmico dos alimentos (TEF).

>> Atividade física: Refere-se ao número de calorias necessárias para alimentar a execução de tarefas diárias e exercícios.

Mas comer mais calorias que o corpo precisa para manter o bom funcionamento, fará você ganhar peso, principalmente na forma de gordura corporal.

Comer menos calorias que o corpo requer, leva à perda de peso (2).

Este conceito de equilíbrio calórico é o que faz com que tantas pessoas busquem perder peso por restringir a ingestão de calorias (5).

No entanto, restringir calorias demais pode prejudicar a saúde.

  1. Queda no Metabolismo

Pode ocorrer a queda no metabolismo.

Vários estudos mostram que dietas de baixa caloria, podem diminuir o número de calorias que o corpo queima em até 23% (8).

Além disso, este metabolismo mais baixo pode persistir muito tempo depois que a dieta com restrição calórica é interrompida.

Pesquisadores afirma que a queda do metabolismo pode explicar parcialmente porque mais de 80% das pessoas, recuperam o peso logo após interromper a dieta com restrição calórica (10). 

Elas causam a perda muscular (11).

Esse problema pode ser potencializado em dietas baixas em proteínas, e que não incluem exercícios físicos.

Aumentar ligeiramente a ingestão de proteína, e adicionar exercícios de resistência à sua rotina de exercícios é essencial para evitar a perda de massa muscular (14).

  1. Deficiências Nutricionais

Pode causar fadiga e tornar mais desafiador atender às necessidades diárias de nutrientes que o corpo precisa.

Por exemplo, dietas com restrição calórica podem não fornecer quantidades suficientes de ferro, folato ou vitamina B12. Isso pode levar à anemia e fadiga extrema (16, 17).

Essa dietas também podem limitar o consumo de outros nutrientes, incluindo:

>> Proteína: Não comer alimentos ricos em proteínas como carne, peixe, ovos, nozes e sementes pode causar perda de músculos, queda de cabelo e unhas frágeis (25).

>> Cálcio: Não comer alimentos ricos em cálcio, como lácteos e folhas verdes pode reduzir a resistência óssea e aumentar o risco de fraturas (26).

>> Biotina e tiamina: Uma baixa ingestão de leguminosas, ovos e nozes pode limitar a ingestão dessas duas vitaminas B, resultando potencialmente em fraqueza muscular, perda de cabelo e pele escamosa (27).

>> Vitamina A: A vitamina A presente em alimentos como peixe, verduras folhosas ou frutas e vegetais cor de laranja, evitam o enfraquecimento do sistema imunológico, danos permanentes aos olhos (29).

>> Magnésio: Uma ingestão insuficiente de nozes e folhas verdes pode causar fadiga, enxaquecas, cãibras musculares e ritmos anormais do coração (30).

Para evitar a fadiga e deficiências de nutrientes, evite restringir excessivamente as calorias e coma uma variedade de alimentos de verdade, e não alimentos processados.

  1. Pode prejudicar a Fertilidade

Outro malefício inclui danos à fertilidade. A capacidade de ovular depende dos níveis hormonais e eles precisam de nutrientes para manter o funcionamento hormonal.

É necessário um aumento nos níveis de estrogênio e de hormônio luteinizante (LH), para que a ovulação ocorra. 

Uma pesquisa mostrou que os níveis de LH, dependem em parte do número de calorias disponíveis na dieta da mulher (31, 32).

Consequentemente, estudos mostram que a função reprodutiva é suprimida em mulheres que comem 22-42% menos calorias do que são necessárias para manter o peso (33).

Uma ingestão insuficiente de calorias também pode reduzir os níveis de estrogênio, afetando negativamente a saúde óssea e cardíaca (34).

Sinais de fertilidade reduzida podem incluir ciclos menstruais irregulares ou a falta deles. 

No entanto, distúrbios menstruais sutis podem não ter quaisquer sintomas, por isso eles podem exigir um exame médico mais aprofundado para ser diagnosticado (37).

  1. Prejudica a saúde óssea 

Consumir poucas calorias pode enfraquecer os ossos. A restrição calórica pode reduzir os níveis de estrogênio e testosterona.

Níveis baixos destes dois hormônios reprodutivos, reduzem a formação óssea e aumentam a avaria dos ossos, resultando em ossos mais fracos (40).

Além disso, a restrição calórica pode aumentar os níveis de hormônio do estresse, que pode levar à perda óssea (44). 

A perda óssea muitas vezes é irreversível e aumenta o risco de fraturas (45).

  1. Prejudicar a Imunidade

As dietas que restringem calorias, também podem aumentar o risco de infecções e doenças.

Como ser mais saudável?

A necessidade de calorias varia de pessoa para pessoa, e dependem de fatores como idade, sexo, altura, peso atual e nível de atividade física.

O consumo correto de nutrientes e calorias ajudam a prevenir doenças, e manter o bom funcionamento do organismo. 

Por isso, procure orientação médica antes de iniciar qualquer mudança na alimentação.

Quando se trata da perda de peso a longo prazo, a paciência é a chave. É melhor evitar as dietas que exigem que você restrinja severamente suas calorias.

Em vez disso, opte pela reeducação alimentar e na qualidade dos alimentos. Escolha ser mais saudável e feliz hoje, e mude o seu amanhã.

Lembrando a que a dieta low carb, tende a incluir alimentos saudáveis e nutritivos às refeições.

 

Abraços e fique com Deus!

Dr. Juliano Pimentel.

O Que Achou do Artigo? Deixe Sua Opinião Abaixo:

Você pode Gostar

Tags : alimentaçãoatividade físicacaloriasdeficiências nutricionaisdietadieta low carbdietas com restrição calóricadietas de baixa caloriadietas que restringem caloriasdigestãodr. juliano pimentele-bookefeito térmico dos alimentosejum intermitenteestrogênioexercícios físicosfadigaFraqueza muscularfuncionamento do cérebroganhar pesogordura corporalingestão de caloriasjejum intermitentemassa muscularmetabolismoperda de pesoperda muscularperder pesoproteínasqueda no metabolismorestrição calóricasaúdetaxa metabólica basal

The author Dr. Juliano Pimentel

Olá, eu sou o doutor Juliano Pimentel. Médico, fisioterapeuta e coach que ajuda as pessoas com conteúdos sobre saúde, alimentação e emagrecimento. Também sou celíaco e tenho uma vida de pesquisa sobre o Glúten.

Enviar Resposta