close
ArtigosMetabolismo

Doenças Autoimunes: Causas e Principais Sintomas

Dr Juliano Pimentel

Os sintomas de doenças autoimunes nem sempre anunciam sua chegada. Muitas pessoas desenvolvem doenças autoimunes lentamente, sem sequer perceber que algo está errado. E o caminho para um diagnóstico pode ser longo e frustrante.

Na verdade, pode levar cerca de cinco anos para receber um diagnóstico oficial autoimune, isso porque os sintomas destas doenças são díspares e vagos.

Neste artigo, eu vou compartilhar quais são os principais sintomas de doenças autoimunes.

Não deixe de ler e compartilhar.

Doenças Autoimunes

Pesquisas revelaram que as doenças autoimunes, aumentaram nos últimos 40 anos e afetam cerca de 15 a 20% da população mundial.

As causas que levam a esta condição ainda não são específicas.

O que sabemos é que elas estão relacionadas com fatores ambientais (externos) e fatores intrínsecos do nosso organismo, como por exemplo, alterações nos níveis hormonais, baixo controle imuno-regulatório e predisposição genética (1).

Ou seja, fatores do nosso próprio organismo somados aos fatores ambientais aos quais estamos expostos cotidianamente, podem desencadear um ambiente propício para o surgimento de alguma doença autoimune.

Sintomas

Alguns dos sintomas de doença autoimune mais comuns que você deve ficar atento incluem (2):

  • Dores de cabeça;
  • Ansiedade;
  • Confusão mental;
  • Déficit de atenção;
  • Erupções cutâneas, vermelhidão na pele facial e pele vermelha descamando;
  • Acne;
  • Eczema;
  • Psoríase;
  • Dermatite;
  • Alergias;
  • Asma;
  • Boca seca;
  • Resfriados frequentes;
  • Problemas de tireoide que poderiam apontar para a doença de Hashimoto;
  • Fadiga ou hiperatividade;
  • Ganho ou perda de peso;
  • Sensação geral de mal-estar;
  • Dor muscular e fraqueza;
  • Rigidez e dor (pode sugerir artrite reumatoide ou sintomas de fibromialgia);
  • Exaustão;
  • Cólicas estomacais;
  • Gases;
  • Estômago inchado;
  • Diarreia;
  • Prisão de ventre.

Se você tem algum desses sintomas, fique atento à recorrências, pioras e procure sempre orientação médica.

Principais doenças autoimunes

Atualmente são conhecidos pela medicina vários tipos de doenças autoimunes, sendo que cada uma possui sintomas e tratamentos diferenciados e específicos.

Entre algumas das principais doenças autoimunes estão (3):

  1. Lúpus: afeta a pele, rins, cérebro, articulações como demais órgãos;
  2. Esclerose Múltipla: afeta o cérebro e medula espinhal (sistema nervoso central);
  3. Psoríase: afeta a pele causando lesões avermelhadas e descamativas. Pode agredir o coro cabeludo, cotovelos, joelhos, pés, mãos e unhas;
  4. Tiroidite de Hashimoto: afeta diretamente a glândula da tireoide, comprometendo a produção dos hormônios fabricados por ela;
  5. Vitiligo: causa a perda gradativa da pigmentação da pele, causando manchas em todo corpo;
  6. Diabetes do tipo 1: leva ao organismos a não produzir a quantidade necessária de insulina e com isto, o nível de glicose no sangue fica elevado;
  7. Doença Celíaca: leva à intolerância ao glúten, substância encontrada no trigo, cevada, centeio e seus derivados como massas, pães, pizzas e etc;
  8. Artrite Reumatoide: afeta principalmente as articulações podendo levar à perda da função;
  9. Doença de Graves: leva à superatividade da tireóide, causando o que chamamos de hipertireoidismo.
  10. Anemia Hemolítica: causa a baixa concentração de glóbulos vermelhos no sangue, com número menor do que o necessário.

Doenças autoimunes e a conexão com o intestino

Mais pesquisadores e clínicos estão se aproximando da ideia de que o intestino permeável, está relacionado à maioria das condições autoimunes.

Normalmente, o corpo tem um sistema de verificações e equilíbrios que mantém a atividade de anticorpos funcionando. Quem possui um papel fundamental nesse equilíbrio? O microbioma (4).

Um grupo de pesquisadores da Caltech descobriu que Bacteroides fragilis, uma estirpe de bactérias presente em 70% a 80% dos seres humanos, ajuda o sistema imunológico a manter o equilíbrio ao apoiar funções anti-inflamatórias.

Em estudos com animais, os pesquisadores provaram que, quando B. fragilis está presente, ele basicamente atua como um árbitro, ajudando a restaurar um equilíbrio pacífico entre as células imunes pró e anti-inflamatórias.

Infelizmente, esta é uma das bactérias que se tornaram ameaçadas na história recente, o que os pesquisadores da acreditam estar diretamente relacionada ao nosso rápido aumento nas condições autoimunes (5).

Uma das características distintivas tanto do intestino permeável como da doença autoimune, é a sua natureza progressiva.

A síndrome do intestino permeável geralmente começa como uma inflamação intestinal geral, mas ao longo do tempo avança para a má absorção de nutrientes e alimentos ou outras sensibilidades químicas.

Uma maneira de iniciar o processo de tratamento?

Comece a comer de verdade.

Por isso, é importante remover alimentos e fatores que prejudicam o intestino, substituí-los por alimentos anti-inflamatórios, como peixes gordos, brócolis e abacate.

Os sintomas de uma doença autoimune afeta cérebro, pele, boca, pulmões, tireoide, articulações, músculos e funções do trato gastrointestinal.

Você pode lidar com desordens autoimunes removendo alimentos e fatores que prejudicam o intestino, como o açúcar. E não se esqueça de procurar sempre orientação médica.

 

 

Abraços e fique com Deus!

Dr. Juliano Pimentel.

O Que Achou do Artigo? Deixe Sua Opinião Abaixo:

Você pode Gostar

Tags : Anemia Hemolíticaansiedadeartrite reumatóideasmaDéficit de atençãodermatitedestaqueDiabetes do tipo 1doença de Hashimotodoençasdoenças autoimunesdor musculardr. juliano pimentelesclerose múltiplagasesglândula da tireoidehiperatividadeintolerância ao glútenlúpuspele vermelhaperda de pesoprisão de ventrepsoríasesaúdesíndrome do intestino permeávelsintomassintomas de doença autoimunesintomas de fibromialgiatireoide

The author Dr. Juliano Pimentel

Olá, eu sou o doutor Juliano Pimentel. Médico, fisioterapeuta e coach que ajuda as pessoas com conteúdos sobre saúde, alimentação e emagrecimento. Também sou celíaco e tenho uma vida de pesquisa sobre o Glúten.

Enviar Resposta