close
ArtigosNotíciasSer Pleno

Estresse, Ansiedade e Depressão Associados ao Coronavírus COVID-19

A atual pandemia de coronavírus (COVID-19) é uma situação particular e rara. Pode afetar as pessoas fisicamente, mas também psicologicamente. Nesse tipo de contexto, muitas pessoas experimentam reações de estresse, ansiedade e depressão.

O que significa estresse?

O estresse é uma resposta fisiológica normal a uma situação anormal. Como tal, é parte integrante de nossas vidas.

Ele permite que o nosso corpo se adapte à multiplicidade de eventos positivos e negativos que experimentamos, como nascimento, casamento, perda de emprego, etc.

O estresse entra e sai por conta própria, dependendo de quais fatores estão envolvidos. Por exemplo, se você se sente estressado no trabalho, mas menos em casa à noite ou no fim de semana, podemos deduzir que os estressores são relacionados ao trabalho.

O que significa ansiedade?

Ao contrário do medo, que é uma resposta a uma ameaça bem definida e muito real, a ansiedade é uma resposta a uma ameaça vaga ou desconhecida. A ansiedade se manifesta quando acreditamos que um evento perigoso ou infeliz pode ocorrer e o estamos esperando.

Todo mundo experimenta ansiedade em seu próprio grau e intensidade individuais, porém, a percepção do evento antecipado influenciará bastante a intensidade da experiência de ansiedade.

O que significa depressão?

O dicionário define depressão como um estado passageiro de lassidão, desânimo e tristeza. A depressão porém, pode aparecer de várias maneiras físicas e psicológicas, sua intensidade varia de uma pessoa para outra.

Sintomas potenciais associados ao estresse, ansiedade e depressão

As reações de estresse, ansiedade e depressão podem aparecer de várias maneiras físicas, psicológicas, emocionais e comportamentais para qualquer indivíduo.

Sintomas físicos

  • Dores de cabeça, tensão no pescoço, problemas gastrointestinais, por exemplo;
  • Problemas de sono
  • Menor apetite e energia
  • Fadiga

Sintomas psicológicos e emocionais

  • Preocupações e insegurança relacionadas a vírus
  • Sentimentos de ser dominado por eventos, como sentimento de impotência, por exemplo;
  • Auto-verbalização que nem sempre reflete a realidade
  • Visão negativa das coisas ou eventos diários
  • Sentimentos de desânimo, insegurança, tristeza, raiva, entre outros.

Sintomas comportamentais

  • Dificuldade em se concentrar e de tomar decisões
  • Irritabilidade e agressão
  • Maior sensibilidade, assim como choro fácil
  • Maior uso de álcool, drogas, medicamentos ou alimentação em excesso.

Maneiras de melhorar a situação

Todos esses sintomas de estresse, ansiedade e depressão são muito normais no contexto de uma pandemia.

No entanto, a maioria das pessoas têm recursos e força mental para se adaptar a esse tipo de situação. Por isso, é fundamental confiar em como você geralmente se adapta a situações difíceis.

Aqui estão algumas outras maneiras de minimizar as repercussões dessas reações em sua vida diária.

Mantenha-se informado

Informações insuficientes e / ou contraditórias podem agravar as reações.

  • Use fontes confiáveis ​​de informação, como a página Coronavirus (COVID-19) do Ministério da saúde
  • Desconfie de notícias sensacionalistas de fontes pouco conhecidas ou duvidosas, para isso, reserve um tempo para confirmar essas informações com fontes reconhecidas oficialmente.
  • Embora seja importante manter-se adequadamente informado, limite o tempo necessário para obter informações sobre o COVID-19 e suas conseqüências. A sobrecarga de informações pode agravar sua reação ao estresse, ansiedade e depressão.

Se cuida

Esteja atento aos seus sentimentos, emoções e reações e permita-se expressá-los para alguém em quem confie. Anotá-las ou expressá-las através de tipos físicos ou outros de atividade.

Além disso, faça uso da atividade física para aliviar o estresse e eliminar a tensão. Pratique hábitos de vida saudáveis, como nutrição adequada e sono suficiente.

Limite seu acesso a estressores e permita-se aos pequenos prazeres da vida, como ouvir música, tomar um banho quente, ler, por exemplo.

Permaneça em contato com pessoas que você faz bem.

Lembre-se das estratégias de vitória que você usou no passado para passar por momentos difíceis e conte com seus próprios pontos fortes.

Defina limites para si mesmo, como recusar uma tarefa que não é essencial ou que você não deseja executar.

Por fim, aprenda a delegar e deixar que outras pessoas o ajudem. Isso pode estar pedindo aos seus filhos que lavem a louça, por exemplo.

Quando devo procurar ajuda para ansiedade?

De um modo geral, é possível superar as reações ao estresse, ansiedade e depressão. Ainda assim, algum desconforto pode persistir por algumas semanas ou meses e até piorar.

Esses sinais podem significar que seus recursos pessoais não são mais suficientes para gerenciar suas preocupações diariamente. Procurar ajuda pode ser benéfico.

Sintomas físicos

  • Sentimentos de asfixia, assim como, batimento cardíaco acelerado, tontura, náusea
  • Principais problemas de sono
  • Apetite reduzido pronunciado, possivelmente associado à perda de peso
  • Baixa energia e fadiga pronunciada ou exaustão

Sintomas psicológicos e emocionais

  • Ansiedade e medo avassalador
  • Sentindo-se em pânico ao ouvir falar do vírus
  • Pensamentos difusos negativos
  • Por fim, perda de prazer e interesse em atividades que você geralmente gosta

Sintomas comportamentais de ansiedade

  • Dificuldade em realizar tarefas diárias
  • Evitar alguém de fora de casa por medo de contágio
  • Monitorando obsessivamente os sintomas do coronavírus
  • Choro intenso e frequente
  • Irritabilidade e agressão pronunciadas, conflito com outros membros da família

Se você sentir estes sintomas agravar busque ajuda, afinal de contas você não precisa passar por isso.

Antes de finalizar o artigo quero compartilhar com você uma material GRATUITO com receitas de sucos desintoxicantes.

Estas receitas tem como objetivo principal ajudar seu corpo a expulsar o que te faz mal.

Abraços e fique com Deus!

Dr. Juliano Pimentel.

O Que Achou do Artigo? Deixe Sua Opinião Abaixo:
Tags : ansiedadeansiedade quarentenacoronavírusCOVID-19depressãodr. juliano pimentelestresseestressoresficar em casaquarentenasaúde mental

Autor Dr. Juliano Pimentel

Olá, eu sou o doutor Juliano Pimentel. Médico, fisioterapeuta e coach que ajuda as pessoas com conteúdos sobre saúde, alimentação e emagrecimento. Também sou celíaco e tenho uma vida de pesquisa sobre o Glúten.

Enviar Resposta