close
AlimentaçãoArtigos

Excesso de Carboidratos na Alimentação: É Perigoso?

excesso de carboidratos é prejudicial para a saúde? Quando consumimos alimentos com ricos em carboidratos, consumimos açúcar, mas de uma forma diferente.

Os carboidratos são moléculas de açúcar (glicose) ligadas entre si. Quando comemos carboidratos, o pâncreas libera insulina para reduzir os níveis de açúcar no sangue.

O hormônio insulina também faz com que o metabolismo armazene energia. Com o excesso de carboidratos, o pâncreas produz mais e mais insulina, isso faz o seu corpo armazenar gordura.

Com isso, o glucagon, o hormônio que permite que o corpo queime gorduras armazenadas por energia, não tem tempo para executar as suas tarefas devido ao excesso de carboidratos.

Nesse artigo vou apresentar os perigos do excesso de carboidratos na alimentação.
Não deixe de ler e compartilhar!

Excesso de Carboidratos

Excesso de Carboidratos e os Malefícios. Imagem: (Divulgação)

O aumento de insulina pelo excesso de carboidratos ao longo do tempo, pode levar à muitos problemas de saúde.

Além de aumentar as chances de obesidade, devido ao excesso de gordura armazenada; o excesso de carboidratos pode contribuir para o desenvolvimento de doenças crônicas.

Confira a seguir os principais perigos do excesso de carboidratos na alimentação:

1- Obesidade

Cada grama de carboidratos contém 4 calorias, e alguns alimentos podem conter dezenas de gramas de carboidratos – que somam centenas de calorias.

As calorias realmente fornecem energia que você precisa para se manter ativo.

Mas consumi-las em excesso leva ao aumento de peso e diversos outros problemas; o seu organismo vai armazenar qualquer energia extra como gordura (1).

Isso aumenta as chances de desenvolver a obesidade e o sobrepeso.

2- Função cognitiva

Gordura e carboidratos geralmente têm uma relação inversa na dieta. A maioria das pessoas mantém a ingestão de proteínas um pouco estável; e é mais comum as pessoas que consomem mais carboidratos e açúcar, consumirem menos gorduras saudáveis.

Isso é perigoso, pois o corpo precisa de gorduras saudáveis ​​para manter a função cerebral adequada, controle do humor e regulação hormonal.

Inicialmente uma refeição açucarada ou alta em carboidratos, pode dar a sensação de picos de adrenalina; porém, após isso é possível aumentar a exaustão e indisposição.

O carboidrato é viciante e tem efeitos terríveis sobre o cérebro, especialmente quando se
trata de aumentar a ansiedade e a fadiga. O que, consequentemente, piora a função cognitiva.

3- Diabetes tipo 2 e a Insulina

Os excessos de carboidratos também podem afetar negativamente os níveis de açúcar no sangue.

Normalmente, o açúcar no sangue serve como fonte de energia para suas células.

Contudo, carboidratos refinados – carboidratos de açúcar ou brancos como pão branco e macarrão – são digeridos rapidamente e causam o aumento dos níveis de açúcar no
sangue.

Seu corpo responde soltando hormônios para diminuir os níveis de açúcar no sangue, mas muitas vezes isso acaba aumentando a sensação de fome e aumentando os níveis de insulina.

Ao longo do tempo, comer muitos carboidratos pode afetar negativamente sua capacidade de controlar seus níveis de açúcar no sangue.

As pessoas que comem uma dieta com índice glicêmico mais alto – com alimentos ricos em carboidratos, aumentam os picos de açúcar no sangue – correm maiores riscos em desenvolver diabetes tipo 2.

Quando comemos alimentos ricos em açúcar e carboidratos, a insulina é liberada como uma reação, a fim de elevar a glicose no sangue (açúcar). Insulina é muitas vezes chamada de hormônio de armazenamento de gordura.

Consumir excesso de carboidratos, pode aumentar o risco de vários distúrbios, incluindo diabetes tipo 2.

Após consumir carboidratos como pão, tubérculos e outros alimentos; o açúcar no sangue aumenta, seu pâncreas libera insulina, e isso ajuda a converter a glicose em gordura que será armazenada no fígado, músculos e outros tecidos.

O diabetes tipo 2 desenvolve-se quando seu organismo deixa produzir a insulina, ou se torna insensível a ela.

De acordo com o Instituto Linus Pauling, consumir muitos carboidratos que causam um rápido aumento da glicemia, gera uma alta demanda em seu pâncreas para a insulina e aumenta significativamente a probabilidade de desenvolver diabetes tipo 2.

4- Doença cardiovascular

Uma dieta contendo muitos carboidratos pode elevar seu nível sanguíneo de triglicerídeos, um
tipo de gordura não saudável que viaja em seu sangue.

Também pode diminuir os níveis sanguíneos de lipoproteína de alta densidade, muitas vezes referido como o colesterol bom , de acordo com o Instituto Linus Pauling.

Os níveis elevados de triglicerídeos, juntamente com níveis relativamente baixos de lipoproteínas de alta densidade; podem aumentar significativamente o risco de doença cardíaca.

Uma dieta rica em carboidratos também pode ter efeitos negativos sobre os vasos sanguíneos.

 

5- Problemas digestivos

O excesso de carboidratos na alimentação, pode resultar em problemas digestivos.

Excesso de carboidrato sem fibras, não permite um bom funcionamento intestinal. O aumento excessivo e rápido de fibras, causa desequilíbrio intestinal.

Ao aumentar a ingestão de carboidratos (principalmente sem a ingestão adequada de líquidos saudáveis), contribui para o aumento de inchaço, constipação e flatulência.

Isso não significa que você deve evitar carboidratos ricos em fibras.

Ao consumir uma dieta de fibra relativamente baixa, incorpore alimentos ricos em fibras nas refeições lentamente para que o seu corpo se adapte. Beba pelo menos 2 litros de água diariamente para evitar constipação.

6- Pressão alta

O excesso de insulina pode ser a causa oculta por trás da hipertensão arterial. A insulina força os rins a reter o sódio, resultando em retenção de líquidos.

À medida que o corpo retém mais líquido e aumenta o volume sanguíneo, a pressão arterial começa a aumentar.

A insulina excessiva também aumenta a espessura das paredes arteriais, tornando-as menos elásticas e mais estreitas, o que impulsiona a pressão arterial.

A insulina também estimula as suprarrenais para restringir os vasos sanguíneos, aumentando a frequência cardíaca e aumentando a pressão arterial.

7- Síndrome metabólica

Outra consequência do excesso de carboidratos é o desenvolvimento da síndrome metabólica.

De acordo com a American Heart Association, a síndrome metabólica é caracterizada por um grupo de fatores de risco que incluem resistência à insulina, obesidade , pressão arterial elevada e colesterol alto, risco de coagulação sanguínea e aumento da inflamações.

Como já citado em outras oportunidades aqui no site, você pode prevenir esses problemas de saúde com uma dieta Low Carb.

A glicose, ou outras moléculas que podem se transformar em glicose uma vez que ingeridas, são encontrados em todos os alimentos ricos em carboidratos, sejam grãos, legumes, legumes, frutas, edulcorantes de todos os tipos – e até mesmo nozes, sementes e legumes.

Por isso, dê preferência aos alimentos naturais com baixo índice de carboidratos, e evite o surgimento dessas doenças. E sempre consulte o seu médico.

E pensando em ajudar pessoas como você, eu desenvolvi um e-book para ajudar você a fazer essa transformação, com todas as informações que você precisa e um guia passo a passo para implementar.
Tenha acesso aos Bônus Exclusivos!!
Quer saber como conseguir? Então clique na imagem abaixo e adquira agora o meu livro digital:

VIVA MELHOR SEM GLÚTEN V 2.0

Ebook Viva Sem Glúten, Dr. Juliano Pimentel

Abraços e fique com Deus!
Dr. Juliano Pimentel

O Que Achou do Artigo? Deixe Sua Opinião Abaixo:
Tags : açúcaraçucar no sanguealimentaçãocaloriascarboidratoscérebrocolesterol bomdiabetes tipo 2dietadieta low carbdieta rica em carboidratosdr. juliano pimentele-bookexcesso de carboidratosfibrasfunção cerebralglicosegordurahipertensão arterialinsulinalivro digitalníveis de açúcar no sanguenível sanguíneoobesidadepâncreaspressão arterialsaúde

The author Dr. Juliano Pimentel

Olá, eu sou o doutor Juliano Pimentel. Médico, fisioterapeuta e coach que ajuda as pessoas com conteúdos sobre saúde, alimentação e emagrecimento. Também sou celíaco e tenho uma vida de pesquisa sobre o Glúten.

Enviar Resposta