close
ArtigosDores

Fadiga Crônica – Sintomas, Causas e Tratamentos

Dr Juliano Pimentel

A síndrome da Fadiga Crônica, é uma doença crônica caracterizada por fadiga extrema que dura mais de seis meses. Ela não pode ser explicada por uma condição médica subjacente. Na verdade, um dos principais desafios da doença é que é impossível diagnosticar com testes laboratoriais.

Contudo, alguns médicos acreditam que está intimamente relacionado com a fadiga adrenal ou inflamação do sistema de todo o corpo.

Quando não tratada, a fadiga crônica diminui a resistência do corpo, a memória e a concentração (1).

A doença afeta atualmente milhões de pessoas.

Neste artigo, conheça agora os sintomas, as causas e o tratamentos da fadiga crônica.

Não deixe de ler e compartilhar.

Fadiga Crônica e os Sintomas

Fadiga Crônica: Pode se apresentar com sintomas de gripe. Imagem: (Divulgação)

A fadiga crônica muitas vezes começa de repente, com sintomas gripais ou de doenças mais comuns. Mas ao contrário da gripe, pode durar uma vida inteira.

Além da sensação de fadiga, outros sintomas estão relacionados à doença e merecem atenção, tais como:

– Dor nas articulações ao se mover de um local para o outro;

– Dores musculares ao se exercitar ou até mesmo em uma simples caminhada;

– Perda de memória frequentemente;

– Falta de concentração;

– Aumento nas inflamações de garganta;

– Dores de cabeça constantes;

– Arrepios e suor durante a noite;

– Perda de sono;

– Distúrbios digestivos como síndrome do intestino irritável.

Além dos sintomas citados acima, quem sofre de síndrome de fadiga crônica também percebe alterações significativas no organismo como irritabilidade, alterações constantes no humor, ataques de pânicos, ansiedade e depressão.

Segundo um estudo publicado na Family Practice, nos Estados Unidos, cerca de 36% das pessoas que possuem a doença são deprimidos e outros 22% pensaram em suicídio no último ano.

Dessa forma, os efeitos colaterais e emocionais da fadiga crônica não podem ser negligenciados e o tratamento deve incluir a mente e o corpo (2).

Causas 

Diante dos sintomas que afetam a mente e o espírito, a síndrome de fadiga crônica pode resultar em relações conturbadas com amigos e familiares, principalmente quando a mesma não é diagnosticada.

Dessa maneira, é de extrema importância observar as causas da doença.

Embora as causas da fadiga crônica ainda são pouco conhecidas, há descobertas preliminares que desequilíbrios hormonais, resposta do sistema imunológico pobre, infecções virais, pressão arterial crônica baixa e deficiência nutricional são fatores contribuintes (3).

Pesquisas também relatam que a síndrome da fadiga crônica pode estar ligada ao estresse oxidativo, doença celíaca e sensibilidades alimentares ou alergias alimentares.

Acredita-se que as causas variam de pessoa para pessoa.  

Mas, alguns vírus podem causar a doença, como o HIV e o sarampo.

Alguns pacientes com síndrome da fadiga crônica também podem sofrer com níveis anormais de hormônio na corrente sanguínea; principalmente os hormônios produzidos pelo hipotálamo, pela hipófise ou pelas glândulas suprarrenais.

Alguns fatores são conhecidamente capazes de aumentar o risco de ocorrência da doença. Como:

>> Idade: é comum entre pessoas com idade entre 40 e 50 anos;

>> Sexo: as mulheres são comumente mais afetadas pela doença;

>> Estresse: grande carga de estresse pode ter relação com a doença.

Tratamentos 

Normalmente, os tratamentos prescritos para a síndrome de fadiga crônica tratam os sintomas em vez das causas.

Por isso, para muitos são diagnosticados remédios antidepressivos, que diminuem a ansiedade, remédios para dormir e analgésicos, para aliviar as dores musculares e as dores de cabeça.

Mas, é importante observar os efeitos colaterais que os medicamentos podem gerar ao organismo.

Dessa maneira, é recomendado a adição de vitaminas do complexo B, práticas de atividades físicas e atividades complementares. E, sobretudo uma alimentação de verdade, com dieta equilibrada e rica em potássio e magnésio.

De acordo com um estudo no Journal of Alternative and Complementary Medicine, atividades complementares como acupuntura, ioga e meditação, são eficazes no tratamento da síndrome de fadiga crônica e fibromialgia (5).

Algumas causas possíveis incluem distúrbios imunológicos, deficiências nutricionais, alergias alimentares, controle de açúcar no sangue pobre, estresse e toxinas ambientais.

Por isso, elimine o consumo de alimentos que causam sensibilidade alimentares e alergias, como os ricos em glúten, leite e seus derivados, por exemplo.

Alguns hábitos alimentares podem contribuir para o tratamento da fadiga crônica como, por exemplo:

>> Algas: algas fornecem minerais críticos para uma nutrição adequada.

>> Proteína: a proteína diminui a absorção de glicose e equilibra os níveis de açúcar no sangue.

>> Alimentos ricos em probióticos: equilibram as bactérias intestinais que podem estar provocando fadiga, ou dor nas articulações. Um exemplo desse grupo é o iogurte.

>> Omega 3: escolha peixes, como o salmão que é rico em omega-3, que suportam a função imunológica e são essenciais para a saúde do cérebro.

>> Água: desidratação pode aumentar a fadiga, por isso tente beber um copo de água a cada 2 horas.

Alimentos que devem ser evitados

Por outro lado, alguns alimentos precisam ser evitados para melhorar os sintomas da fadiga (6):

>> Álcool: é um agente depressivo, portanto, irá exacerbar a fadiga. Ele também pode levar a um mau funcionamento do sistema imunológico.

>> Cafeína: quando consumida em excesso pode causar flutuações nos níveis de energia ou dependência.

>> Açúcar: danifica o sistema imunológico e piora a hipoglicemia, levando a flutuações nos níveis de energia. (Para saber mais sobre os malefícios do açúcar, preencha o formulário abaixo)

>> Alimentos que contêm glúten: fadiga crônica pode ser um sinal de intolerância ao glúten. Tente evitar todos os alimentos que contenham glúten.

A fadiga crônica é um problema muito comum atualmente, que pode envolver alimentação pobre em nutrientes e níveis elevados de estresse.

Algumas modificações simples na dieta e a prática de exercícios, como ioga, podem melhorar a sensação de fadiga.

Caso os sintomas persistam, procure orientação médica.

Abraços e fique com Deus!

Dr. Juliano Pimentel.

BAIXE AGORA O MEU GUIA COMPLETO E SAIBA POR QUE VOCÊ DEVE PARAR DE COMER AÇÚCAR HOJE!!!

[/vc_column_text]

[/vc_column][/vc_row]

O Que Achou do Artigo? Deixe Sua Opinião Abaixo:

Você pode Gostar

Tags : açúcarcafeínacansaçodestaquedr. juliano pimentelfadigafadiga adrenalfadiga crônicafibromialgiaglúteniogaômega-3proteínasaúdevitaminas do complexo B

The author Dr. Juliano Pimentel

Olá, eu sou o doutor Juliano Pimentel. Médico, fisioterapeuta e coach que ajuda as pessoas com conteúdos sobre saúde, alimentação e emagrecimento. Também sou celíaco e tenho uma vida de pesquisa sobre o Glúten.

1 Comentário

Enviar Resposta