close
ArtigosDores

Fibromialgia – Sintomas, Causas e Tratamentos

Dr Juliano Pimentel

Você sente dores por todo o corpo durante longos períodos; sensibilidade nas articulações, nos músculos, tendões e em outros tecidos maleáveis? Preste atenção pois esses podem ser os sintomas da síndrome Fibromialgia; que também está ligada à fadiga, distúrbios do sono, dores de cabeça, ansiedade e depressão.

De acordo com a Sociedade Brasileira para Estudos da Dor (SBED), a síndrome é causada por um descontrole na forma como o cérebro processa os sinais de dor. Embora homens também sofram com a doença, ela é mais frequente em mulheres entre 20 e 50 anos (1).

Não perca esse artigo!

Não deixe de ler e compartilhar.

Fibromialgia e os Sintomas

Os principais sintomas da fibromialgia, segundo um estudo desenvolvido pela Sociedade Brasileira para Estudos da Dor (SBED), são (2):

  • Dor generalizada presente em diversas partes do corpo, e que demoram pelo menos três meses para passar. As dores são piores nas costas e pescoço e não têm causa aparente;
  • Fadiga e cansaço. Pessoas portadoras da síndrome já acordam se sentindo cansadas, mesmo tendo dormido por muitas horas. Além disso, o sono também é interrompido por causa da dor, sendo comum os pacientes apresentarem problemas como apneia e insônia;
  • Dificuldades cognitivas; onde os portadores de fibromialgia sentem dificuldade de concentração, e focar em atividades que demandem esforço mental;
  • Dor de cabeça recorrente ou enxaqueca clássica, dor pélvica e dor abdominal sem causa identificada;
  • Problemas de memória e de concentração;
  • Dormência e formigamento nas mãos e nos pés, e palpitações pelo corpo;
  • Redução na capacidade de se exercitar;
  • Ansiedade e depressão também são sintomas psicológicos de fibromialgia. Eles podem surgir diante a sensação de impotência e desespero causados pela doença.

Fique atento aos sintomas e procure orientação médica.

Causas da Fibromialgia

Embora as causas sejam desconhecidas, muitos fatores podem contribuir para o desenvolvimento da síndrome.

A genética pode ser um indicador de mutações genéticas capazes de causar a síndrome.

Infecções por vírus e doenças autoimunes, também podem estar envolvidas nas causas da fibromialgia. Além disso, outras fatores estão relacionadas a distúrbios do sono, sedentarismo, ansiedade e depressão (3).

Como os sintomas de fibromialgia são similares aos sintomas de outras síndromes, é de extrema necessidade buscar ajuda médica.

Durante a consulta é importante descrever todos os sintomas e a intensidade das dores. É fundamental destacar todos os medicamentos e suplementos de uso contínuo, e se existe a dificuldade para dormir.

Fatores de risco da Fibromialgia

Entre os fatores de risco da fibromialgia estão:

  • Sexo: a síndrome é mais comum em mulheres do que em homens, em especial entre 20 e 50 anos;
  • Histórico familiar: a doença é recorrente entre membros de uma mesma família, indicando que talvez exista algum fator genético envolvido nas suas causas;
  • Outros transtornos: se você tem artrite reumatoide ou lúpus é mais provável que você acaba desenvolvendo fibromialgia.

Tratamento da Fibromialgia

shutterstock_271845803
Fibromialgia: Procure orientação médica. Imagem: (Divulgação)

O foco é evitar a incapacidade física, minimizar os sintomas e melhorar a saúde de modo geral.

Ele pode envolver fisioterapia, programa de exercícios e prepara físico, métodos para alívio de estresse, o que inclui massagens e yoga, e terapia cognitivo comportamental.

Em conjunto, também se utiliza medicamentos para melhorar o padrão de sono e ansiedade (4).

Mas utilize esses remédios apenas com prescrição médica.

O recomendável é que o portador de fibromialgia siga sempre uma dieta bem balanceada; evite cafeína, mantenha uma boa rotina de descanso para melhorar a qualidade do sono.

Técnicas alternativas complementares, como a aromaterapia, a hidroterapia ou a acupuntura; são excelentes ferramentas para tratar a fibromialgia; pois ajudam a diminuir e a aliviar os sintomas, principalmente as dores intensas no corpo.

A aromaterapia é eficaz, pois o aroma das plantas medicinais alcança as células olfativas e estas estimulam determinadas áreas do cérebro produzindo o efeito desejado.

No caso da fibromialgia, a aromaterapia mais indicada é a de essência de lavanda, que produz bem-estar, acalma e relaxa os músculos (5).

Um estudo realizado pela Universidade da Califórnia em San Diego, nos Estados Unidos e publicado recentemente na revista científica Brain, Behavior and Immunity; mostrou que 20 minutos de exercício são capazes de reduzir a inflamação no corpo.

Uma simples caminhada já pode fazer toda diferença para a manutenção da sua saúde (6).

No caso da alimentação, inclua na dieta alimentos como atum, gema de ovo, sardinha e outros ricos em vitamina D.

Também é indicado alimentos ricos em magnésio como a banana, semente de abóbora, quinoa, brócolis, abacate, entre outros (7).

Reduza o estresse diário, durma o suficiente para estar descansado no dia seguinte, exercite-se regularmente, mantenha um mesmo ritmo de vida, preserve um estilo de vida saudável.

Veja também o vídeo:

Fibromialgia: Como Me Livro Dela?

Consulte o médico e cuide-se.

Abraços e fique com Deus!

Dr. Juliano Pimentel.

O Que Achou do Artigo? Deixe Sua Opinião Abaixo:
Tags : alimentos ricos em magnésioantidepressivosapneiaaromaterapiadepressãodestaqueDor pélvicadr. juliano pimentelfadigafibromialgiafisioterapiaorientação médicaProblemas de memóriasaúdesedentarismosensibilidade nas articulaçõessíndromesintomas da fibromialgiayoga

The author Dr. Juliano Pimentel

Olá, eu sou o doutor Juliano Pimentel. Médico, fisioterapeuta e coach que ajuda as pessoas com conteúdos sobre saúde, alimentação e emagrecimento. Também sou celíaco e tenho uma vida de pesquisa sobre o Glúten.

Enviar Resposta