close
ArtigosReceitas

Receita de filé de frango a parmigiana low carb

Está fazendo low carb? Então essa receita de frango a parmegiana low carb é para você!

Fazer a dieta low carb não significa se privar de comer refeições saborosas. E essa receita está aí para provar que é possível sim fazer ótimas receitas sem carboidrato.

Comenta e envia essa receita para as amigas que estão fazendo low carb.

Frango a parmegiana low carb

Ingredientes

  • 4 filés de frango
  • 400 ml de molho de tomate caseiro 
  • 140g de castanha do Pará ou outra oleaginosa trituradas em farinha
  • 70g de semente de chia
  • Sumo de 1 limão
  • Sal rosa, pimenta e noz moscada à gosto 
  • Por fim, mussarela de búfala 

Modo de Preparo do frango a parmegiana low carb

Tempere os filés com o sumo do limão, sal, pimenta, noz moscada ou outro tempero da sua preferência. Deixe marinando por uns 15 minutos no mínimo.

Em seguida, triture a castanha do pará até virar uma farinha e misture com a semente de chia, acrescente sal, pimenta, noz moscada na mistura.

Logo após, empane os filés na farinha preparada com os temperos e leve dourar em uma frigideira aquecida em fogo baixo, deixe dourar um lado depois vire e doure o outro, não precisa tampar a frigideira. 

Transfira os filés para uma assadeira e despeje todo o molho em cima deles e cubra com a mussarela, por fim, leve ao forno pré-aquecido 180°C por 10 minutos para gratinar!

Fica uma delícia!

Assista ao vídeo da preparação do frango a parmigiana low carb.

 

Além de saborosa, essa receita de filé de frango ainda oferece muitos benefícios para seu organismo.

Benefícios do frango presente no frango a parmegiana low carb

O principal ingrediente da receita de frango a parmegiana low carb é o peito de frango, que têm baixo teor de gordura e baixo teor de sódio. 

E o melhor, é que peitos de frango fornecem zero gramas de carboidratos, por isso é um alimento que pode ser usado sem medo em receitas como essa de frango a parmegiana low carb

Além disso, o peito de frango não é apenas uma boa fonte de proteína, mas também é muito rica em vitaminas e minerais. Por exemplo, as vitaminas B ajudam o corpo na produção de energia e também ajudam a formar glóbulos vermelhos saudáveis (1). 

A vitamina D no frango  ajuda na absorção de cálcio e fortalecimento ósseo (2). A vitamina A ajuda na construção da visão e desempenha um papel importante no sistema imunológico (3).

Minerais como ferro são úteis na hemoglobina   formação, atividade muscular e prevenção da anemia. Potássio e sódio são eletrólitos, que auxiliam no equilíbrio de fluidos, enquanto o fósforo é útil para combater fraquezas, saúde óssea, função cerebral, atendimento odontológico e problemas metabólicos.

Perda de peso

Sabe-se que dietas com altos níveis de proteína são eficazes na redução de peso e o frango se encaixa bem como parte de uma dieta rica em proteínas para perda de peso. Um estudo  mostra que a perda de peso e melhorias no perfil lipídico total podem ser alcançadas em pessoas que comem regularmente peito de frango (4).

Isso pode ser atribuído ao seu alto teor de proteínas e às baixas calorias totais. 

Controle da pressão arterial

De acordo com uma pesquisa em 2008, o consumo de galinha foi encontrado para ser útil no controlo da pressão sanguínea (5, 6). Ao seguir uma dieta rica em frango, nozes, laticínios com pouca gordura, legumes e frutas, foram observadas melhorias em pessoas com hipertensão, por exemplo. 

Benefícios da castanha do pará

Outro ótimo ingrediente da receita de rango a parmegiana low carb é a castanha do Pará que pode ajudar pessoas com distúrbios da tireoide.

É isso mesmo, a castanha do pará é riquíssima em selênio. E além de garantir a função adequada da tireoide, o selênio pode melhorar os sintomas em pessoas com distúrbios da tireoide.

A tireoidite de Hashimoto é um distúrbio autoimune no qual o tecido tireoidiano é gradualmente destruído, levando ao hipotireoidismo e a uma variedade de sintomas como fadiga, ganho de peso e sensação de frio, por exemplo.

Várias revisões descobriram que a suplementação com selênio pode melhorar a função imunológica e o humor em pessoas com tireoidite de Hashimoto (7 ,8).

No entanto, duas outras revisões concluíram que não há evidências suficientes para determinar o papel do selênio no tratamento da doença. Portanto, mais pesquisas são necessárias (9, 10).

Enquanto isso, a doença de graves é um distúrbio da tireoide no qual é produzido muito hormônio da tireoide, levando a sintomas como perda de peso, fraqueza, problemas de sono e olhos esbugalhados.

Estudos demonstraram que a suplementação com selênio pode melhorar a função da tireoide e atrasar a progressão de alguns sintomas em pessoas com esta doença. No entanto, são necessárias mais pesquisas (11)

Porém, nenhum estudo investigou o uso da castanha do Pará como fonte de selênio, especificamente em pessoas com tireoidite ou doença de graves. No entanto, incluí-los em sua dieta pode ser uma boa maneira de garantir que seu status de selênio seja adequado.

A castanha do pará também pode reduzir a inflamação

As castanhas do Pará contém vários antioxidantes, incluindo selênio, vitamina E e fenóis como ácido gálico e ácido elágico (12).

O selênio aumenta os níveis de uma enzima conhecida como glutationa peroxidase (GPx), que ajuda a reduzir a inflamação e proteger o corpo do estresse oxidativo – um desequilíbrio entre antioxidantes e radicais livres que podem levar a danos celulares (13, 14, 15).

Os efeitos anti-inflamatórios das castanhas do Brasil podem ser alcançados a partir de doses únicas, grandes e pequenas, durante um período mais longo.

Um estudo observou que uma única porção de 20 ou 50 gramas (4 ou 10 nozes, respectivamente) reduziu significativamente um número de marcadores inflamatórios, incluindo interleucina-6 (IL-6) e fator de necrose tumoral alfa (TNF-alfa ) (16).

Outro estudo de três meses deu às pessoas em tratamento para insuficiência renal uma castanha do Pará por dia. E descobriu que os níveis de selênio e GPx aumentaram, enquanto os níveis de marcadores inflamatórios e colesterol diminuíram significativamente (17).

No entanto, estudos de acompanhamento observaram que, quando as pessoas paravam de comer castanha do Pará, essas medidas retornavam aos níveis originais. Isso demonstra que mudanças na dieta a longo prazo são necessárias para colher os benefícios da castanha-do-pará (18, 19).

Porém não basta fazer boas escolhas alimentares, é preciso ajudar seu corpo aproveitar todos os benefícios dos alimentos. Uma maneira de fazer isso e através do detox.

O detox limpa se corpo e potencializa a metabolização dos alimentos. Conheça o meu programa Detox 7 dias! Você vai se surpreender com os resultados!

Depois de conferir a a receita de filá a parmegiana, clique para conhecer meu programa Detox de 7 dias,
Faça a receita de filé a parmegiana e conheça também o D7D.

Abraços e fique com Deus!

Dr. Juliano Pimentel

O Que Achou do Artigo? Deixe Sua Opinião Abaixo:
Tags : alimentaçãoBenefícios do Frangobife a parmegianacastanha do parádr. juliano pimentelfilé a parmegianafrango a parmegianafrango a parmegiana low carblow carbreceitareceita fácilreceita low carb

Autor Dr. Juliano Pimentel

Olá, eu sou o doutor Juliano Pimentel. Médico, fisioterapeuta e coach que ajuda as pessoas com conteúdos sobre saúde, alimentação e emagrecimento. Também sou celíaco e tenho uma vida de pesquisa sobre o Glúten.

Enviar Resposta