close
AlimentaçãoArtigos

Gordura Na Barriga: Guia Prático para Perder Gordura Visceral

Dr Juliano Pimentel

Muitas pessoas lutam para perder gordura na barrigaMas você sabia que a gordura na barriga (gordura visceral) é um perigoso para a saúde, pois se armazena em torno dos órgãos e pode contribuir para doenças cardíacas, demência, câncer, depressão e muitas outras doenças.

Excesso de gordura na barriga e a obesidade são realmente um problema sério, pois inflamam o seu organismo.

Neste artigo, veja qual a necessidade em perder gordura na barriga, e quais são os perigos que isso pode trazer para a saúde.

Não deixe de ler e compartilhar.

Gordura na Barriga (gordura visceral)?

A gordura na barriga, também chamada de gordura visceral, é tecnicamente o excesso de tecido adiposo intra abdominal. Em outras palavras, é conhecida como uma gordura “profunda” que é armazenada mais abaixo da pele e se envolve em torno de órgãos principais, incluindo o fígado, pâncreas e rins.

Se você tem uma barriga e cintura grandes, esse é um sinal claro que você está armazenando gordura visceral perigosa. Embora seja mais notável em indivíduos obesos, qualquer pessoa pode ter gordura visceral.

A gordura na barriga é especialmente perigosa porque ela faz mais do que apenas apertar as suas calças, ela também muda a maneira como seu corpo opera.

De maneira geral, o excesso de gordura visceral está associado a um risco aumentado de:

  • Doença coronariana;
  • Câncer;
  • Acidente vascular encefálico;
  • Demência;
  • Diabetes;
  • Depressão;
  • Artrite;
  • Obesidade;
  • Disfunção sexual;
  • Distúrbios do sono.

A gordura na barriga é considerada tóxica e representa um problema duplo no corpo porque é capaz de inflamar, além de interferir com as funções hormonais normais do corpo.

As células de gordura fazem mais do que simplesmente armazenar calorias extras – elas provaram estar muito mais envolvidas na fisiologia humana do que pensávamos anteriormente.

Sabemos agora que o próprio tecido adiposo age como um órgão, bombeando hormônios e substâncias inflamatórias. Armazenar o excesso de gordura em torno dos órgãos aumenta a produção de produtos químicos pró-inflamatórios, também chamado de citocinas, o que leva à inflamação.

Ao mesmo tempo, interfere com hormônios que regulam o apetite, peso, humor e função cerebral.

Como a gordura na barriga se desenvolve

Ter uma barriga sem gordura pode ser um indicador de saúde.

Para evitar o acúmulo de gordura perigosa, o corpo basicamente funciona como uma orquestra de produtos químicos que nos diz quando comer e quando estamos cheios.

Este sistema de feedback químico, que é construído sobre a comunicação entre o cérebro e outros órgãos principais, é responsável por nos manter em um peso saudável ou nos tornar mais suscetíveis ao ganho de peso e armazenamento de gordura visceral.

Relacionado ao seu peso, apetite e controle do humor, está os níveis de açúcar no sangue, que são controlados em grande parte pelo hormônio insulina. Quando digerimos o alimento, nosso corpo divide as moléculas de açúcar e amido em unidades mais simples chamadas glicose ou frutose.

Estes açúcares simples entram em nossa corrente sanguínea e desencadeiam a liberação de insulina do pâncreas e, em seguida, a insulina tem o importante trabalho de introduzir o açúcar no sangue para as células. Este processo fornece energia para o cérebro, tecidos e função muscular quando está funcionando corretamente.

Ao mesmo tempo, a insulina também corresponde às reservas de gordura corporal, incluindo a gordura visceral armazenada dentro de nossos corpos. É por isso que as pessoas muitas vezes chamam de insulina nosso “hormônio de armazenamento de gordura”.

Quando há muita glicose em nossa corrente sanguínea, a glicose é armazenada como gordura. Isso acontece muito mais rapidamente e facilmente quando consumimos carboidratos refinados e alimentos processados e açucarados.

Amidos processados, como pão branco ou arroz branco, juntamente com alimentos de alto teor de açúcar, são rapidamente convertidos em açúcares simples que entram na corrente sanguínea e desencadeiam uma maior liberação de insulina do pâncreas. O resultado é geralmente o ganho de peso e mais fome, que faz você continuar a comer mais porcarias.

Quanto mais vezes e mais tempo os níveis de insulina no sangue permanecem altos, mais provável é que uma pessoa acumule gordura corporal em excesso e enfrente problemas de peso.

Insulina também se comunica com muitos outros hormônios necessários para várias funções, incluindo os feitos nas glândulas supra-renais, como o hormônio do estresse cortisol, níveis tão anormalmente altos e desequilíbrios hormonais resultam em poderosos impulsos por comer, mudanças de humor, falta de energia e vários outros fatores que contribuem para várias doenças.

Mas porque mais gordura é armazenada como gordura visceral em algumas pessoas, mas não em outras? Os mecanismos específicos responsáveis pelo aumento proporcional do armazenamento de gordura na barriga incluem comer muitas calorias, excesso produção de cortisol, hormônios de crescimento desregulados, entre outros fatores.

Malefícios da Gordura na Barriga

Entenda como a gordura visceral pode ser prejudicial para o seu corpo.

  1. Aumenta a inflamação

Uma das principais preocupações é que a gordura visceral produz moléculas hormonais e inflamatórias que são despejadas diretamente no fígado, causando inflamação e reações hormonais. Se você tem mais gordura armazenada do que você precisa, especialmente em torno de órgãos viscerais como o fígado, coração, rins, pâncreas e intestinos, seu corpo se torna inflamado e seu metabolismo sofre. E esse é um ciclo difícil de quebrar.

A gordura na barriga armazena glóbulos brancos inflamatórios e inicia uma série de reações autoimunes. A inflamação é a causa da maioria das doenças, por isso que a gordura na barriga está ligada ao declínio cognitivo, artrite, diabetes e outros problemas.

  1. Risco maior de diabetes

Mais do que outros tipos de gorduras, a gordura visceral pode desempenhar um grande papel na resistência à insulina, o que significa um risco maior de desenvolver diabetes.

Por exemplo, a gordura abdominal é vista como um risco maior para a saúde do que a gordura do quadril ou da coxa, não só para o diabetes, mas também para muitas outras doenças crônicas. Algumas evidências sugerem que as mulheres em forma de pêra estão mais protegidas contra doenças metabólicas como a diabetes, em comparação com as pessoas de barriga grande.

Enquanto os homens são mais propensos a armazenar níveis visíveis de gordura visceral, as mulheres também sofrem com esse risco. Reduzir a gordura visceral através de uma dieta saudável é um dos tratamentos naturais para diabetes.

  1. Dificulta a perda de peso

A gordura corporal armazenada afeta os níveis de fome, principalmente a gordura visceral.

A gordura mexe com o nosso apetite e torna mais fácil comer demais devido a alterações hormonais que ocorrem.

Níveis mais elevados de insulina também promovem uma conversão mais eficiente de nossas calorias em gordura corporal, então este ciclo vicioso continua. Comer carboidratos refinados, em oposição a carboidratos complexos em seu estado natural, como legumes e frutas, pode aumentar o peso corporal.

Quando você come carboidratos refinados, como a farinha branca e açúcar, os hormônios de armazenamento de gordura são produzidos em excesso, tornando difícil seguir uma dieta saudável.

  1. Aumenta o risco de doença cardíaca

Citoquinas inflamatórias são as principais contribuintes para doenças cardíacas e outras doenças inflamatórias. Quando seu corpo está inflamado, seu fígado torna-se oprimido com colesterol e toxinas, o que leva ao acúmulo de placa em suas artérias.

A gordura visceral está associada a um risco aumentado de marcadores de doenças cardiovasculares, como triglicérides elevados, pressão alta e colesterol elevado.

  1. Aumenta o risco de demência

Pesquisas recentes apontam que há uma forte ligação entre obesidade, doença vascular, inflamação e declínio cognitivo, incluindo a demência. Na verdade, parece que gordura em excesso no corpo equivale a menos volume do cérebro, prejudicando seu funcionamento em idade avançada.

A pesquisa mostra que pessoas com acúmulo de gordura na barriga têm um risco maior de demência. Isso é verdade também para pessoas com excesso de gordura da barriga, mas que não estão acima do peso. Quanto maior a barriga (ou cintura), maior será o impacto negativo sentido no centro de memória do cérebro, chamado hipocampo.

  1. Depressão e os problemas do humor

Uma vez que o excesso de gordura corporal está ligado a alterações hormonais, ele também pode afetar negativamente o seu humor.

Um estudo realizado em 2014 pela Faculdade de Medicina da Universidade de Boston descobriu que os sintomas depressivos estão associados à adiposidade visceral em adultos de meia-idade.

Para examinar a relação entre as medidas de adiposidade (gordura) e depressão, os pesquisadores examinaram o tecido adiposo visceral (IVA) e sintomas depressivos em 1.581 mulheres (idade média 52,2 anos) e 1.718 homens (idade média 49,8 anos).

Após ajuste para idade, índice de massa corporal, tabagismo, álcool e outros fatores, os resultados mostraram que níveis mais elevados de gordura visceral se traduziram em maior probabilidade de sofrer de depressão.

A depressão é especialmente associada com maior armazenamento de gordura em mulheres.

Como perder gordura na barriga?

Algumas atitudes simples podem te ajudar a perder a tão temida gordura na barriga.

  1. Reduza o açúcar e carboidratos refinados

Você já sabe que a insulina é um dos hormônios mais importantes do corpo – e nossa dieta controla diretamente a liberação de insulina.

Quando uma célula é normal e saudável, tem um nível elevado de receptores para a insulina, por isso não tem qualquer problema em responder a ela. Mas quando uma célula é exposta a altos níveis de insulina através de uma presença contínua de glicose alta, o sistema quebra.

Insulina em excesso significa que as células começam a fazer algo para se adaptar: reduzem o número de receptores sensíveis à insulina, o que causa resistência à insulina.

Consumir muitos carboidratos refinados e açúcares aumenta a insulina, por isso é importante reduzir o seu consumo para equilibrar os hormônios naturalmente e reduzir a gordura.

  1. Consuma vegetais, gorduras e proteínas

A base da sua dieta deve vir de alimentos saudáveis que ajudam a queimar gordura.

Em geral, devemos ter como objetivo comer alimentos ricos em nutrientes densos. Isso significa evitar alimentos embalados e que contém ingredientes artificiais, toxinas e antinutrientes.

Procure comer gorduras saudáveis, incluindo óleo de coco, azeite, peixes e nozes, que têm efeitos benéficos sobre o equilíbrio da insulina, bactérias intestinais, hormônios e controle de peso. Além disso, as proteínas também são importantes para vencer a fome e reduzir picos de insulina.

  1. Faça atividade física regularmente
relacao-entre-estresse-e-cortisol-aceleracao-do-envelhecimento-e-excesso-de-peso.html
Gordura na barriga: Diminua o estresse

O exercício físico possui vários benefícios para o seu organismo. Ele nos ajuda a equilibrar a insulina e torna nossas células mais preparadas para o uso de glicose.

Embora diferentes tipos de exercício possam limitar o risco cardiovascular resultante da obesidade visceral em pessoas com síndrome metabólica, um estudo de 2013 publicado no International Journal of Cardiology descobriu que o treinamento de resistência de alta intensidade induziu uma perda de gordura visceral mais rápida em adultos do que treinamento moderado.

  1. Reduza o estresse

A importância do prazer e da conexão social é muitas vezes esquecido quando se trata de perda de gordura. Mas na verdade o estresse desencadeia a produção de cortisol e interfere no controle do apetite, metabolismo e sono.

Técnicas de redução do estresse como a oração, a meditação, o exercício físico e a leitura são benéficas. Há também os benefícios da exposição ao sol (que vão além da vitamina D) e passar tempo ao ar livre para reduzir o estresse, por isso esteja ativo e passe algum tempo em contato com a natureza.

  1. Tenha uma boa noite de sono

Os benefícios de dormir pelo menos sete a oito horas por noite estão bem documentados quando se trata de hormônio e controle de peso.

Dormir bem pode diminuir o nosso apetite e hormônios do estresse, impulsiona o nosso metabolismo e torna mais fácil resistir aos alimentos porcarias. Para adormecer rapidamente tome um banho relaxante antes de ir para cama, evite o excesso de cafeína e durma em um quarto escuro e fresco.

Espero ter deixado claro quais são os perigos da gordura na barriga, que vão muito além da estética.

Para perder a cintura, a reeducação alimentar é essencial.

Como eu sempre enfatizo, a alimentação de verdade, sem glúten e alimentos processados, é ideal para a sua saúde e emagrecimento! Pessoas que me seguem e colocam em prática essa reeducação alimentar já estão sentindo os resultados.

Mas mesmo que você consuma de vez em quando alguns alimentos naturais, isso não é bastante para garantir a boa saúde e prevenir doenças. Se você costuma comer alimentos industrializados e processados, está à um passo ver a sua saúde minguar aos poucos.
Esse é o momento de transformar a sua saúde de forma efetiva! Eu trago a revolução da saúde, um projeto que pretende mudar a cara da alimentação e da saúde no Brasil! Você, os seus filhos e toda a família merecem uma transformação na saúde que realmente seja eficaz!
Eu desenvolvi um e-book para ajudar você a fazer essa transformação, com todas as informações que você precisa e um guia passo a passo para implementar.
Tenha acesso aos Bônus Exclusivos!!
Quer saber como conseguir? Então clique na imagem abaixo e adquira agora o meu livro digital:

VIVA MELHOR SEM GLÚTEN V 2.0

Ebook Viva Sem Glúten, Dr. Juliano Pimentel

Abraços e fique com Deus!

Dr. Juliano Pimentel.

O Que Achou do Artigo? Deixe Sua Opinião Abaixo:
Tags : alimentaçãodestaquedr. juliano pimentele-bookganho de pesogorduragordura na barrigagordura visceralobesidadeperder gordura na barrigapeso saudávelsaúde

The author Dr. Juliano Pimentel

Olá, eu sou o doutor Juliano Pimentel. Médico, fisioterapeuta e coach que ajuda as pessoas com conteúdos sobre saúde, alimentação e emagrecimento. Também sou celíaco e tenho uma vida de pesquisa sobre o Glúten.

Enviar Resposta