close
c3b3leo-de-canola-faz-bem

O óleo de canola é um óleo à base de vegetais encontrado em inúmeros alimentos.

Muitas pessoas substituem o óleo de soja pelo óleo de canola, no entanto ainda há preocupações sobre seus efeitos na saúde humana.

Se você ainda está em dúvidas sobre o uso do óleo da canola, leia este artigo até o final.

Gostou deste tema? Leia, comente e compartilhe!

O que é óleo de canola

A canola se refere a variedades de plantas de três espécies da família das crucíferas, pertencentes ao gênero Brassica, que produzem um óleo comestível. Para ser chamado

O óleo da canola deve conter menos de 2% de ácido erúcico. E cada grama de componente sólido da semente, seco ao ar, deve conter menos de 30 micromoles de glucosinolatos.

Óleo de canola e a flor
Óleo de Canola faz bem?

A maioria das culturas de canola é geneticamente modificada (OGM) para melhorar a qualidade do óleo e aumentar a tolerância das plantas aos herbicidas (1, 2).

As culturas de canola são usadas para criar óleo de canola, assim como farelo de canola, que é comumente usado como ração animal.

O óleo de canola também pode ser usado como uma alternativa de combustível ao diesel. É um componente de itens feitos com plastificantes, como pneus, por exemplo.

Nutrientes

Uma colher de sopa (15 ml) de óleo de canola fornece (3):

Além das vitaminas E e K, o óleo da canola é desprovido de vitaminas e minerais.

Composição de ácidos graxos

Canola é muitas vezes apontado como um dos óleos mais saudáveis ​​devido ao seu baixo nível de gordura saturada.

Aqui está a decomposição do ácido graxo do óleo de canola (4):

  • Gordura saturada: 7%
  • Gordura monoinsaturada: 64%
  • Gordura poliinsaturada: 28%

No entanto, as gorduras poliinsaturadas no óleo da canola incluem 21% de ácido linoléico, mais comumente conhecido como ácido graxo ômega-6. Além disso, contém 11% de ácido alfa-linolênico (ALA), um tipo de ácido graxo ômega-3 derivado de fontes vegetais (5).

Desvantagens do Óleo de Canola

Como a canola se tornou uma das fontes de gordura mais populares na indústria de alimentos comerciais, cresceram as preocupações com o impacto na saúde.

Rico em gordura Omega-6

Uma desvantagem do óleo de canola é seu alto teor de gordura ômega-6. Assim como as gorduras ômega-3, as gorduras ômega-6 são essenciais para a saúde e desempenham funções importantes em seu corpo.

No entanto, dietas modernas tendem a ser extremamente altas em ômega-6, encontradas em muitos alimentos refinados. E ao mesmo tempo, baixas em ômega-3 de alimentos integrais. Causando assim, um desequilíbrio que leva ao aumento da inflamação.

Enquanto a proporção mais saudável de ômega-6 para ômega-3 é de 1: 1, a dieta típica ocidental é estimada em torno de 15: 1 (6).

Esse desequilíbrio está ligado a uma série de condições crônicas, como a doença de Alzheimer, obesidade e doenças cardíacas, por exemplo (7, 8, 9).

A relação ômega-6 a ômega-3 do óleo de canola é de 2: 1, o que pode não parecer particularmente desproporcional.

No entanto, como esse óleo é encontrado em muitos alimentos e é maior em ômega-6 do que em ômega-3, acredita-se que seja uma fonte importante de ômega-6 na dieta.

Para criar uma relação mais equilibrada, você deve substituir os alimentos processados ​​ricos em canola e outros óleos por fontes naturais de ômega-3, como o peixe gordo.

OGM

Alimentos transgênicos tiveram seu material genético projetado para introduzir ou eliminar certas qualidades (10).

Por exemplo, culturas de alta demanda, como milho e canola, foram geneticamente modificadas para serem mais resistentes a herbicidas e pragas.

Embora muitos cientistas consideram os alimentos transgênicos seguros, há muitas preocupações sobre seu impacto potencial no meio ambiente. Assim como na saúde pública, contaminação de safras, direitos de propriedade e segurança alimentar (11).

Embora os alimentos transgênicos tenham sido aprovados para consumo humano há décadas, existem poucos dados sobre seus possíveis riscos à saúde, levando muitas pessoas a evitá-los.

Altamente refinado

A produção de óleo de canola envolve calor elevado e exposição a produtos químicos.

Considerada um óleo quimicamente refinado, a canola passa por etapas. Como branqueamento e desodorização, ou seja, processos que envolvem tratamento químico (12).

O refinamento diminui acentuadamente os nutrientes dos óleos, como ácidos graxos essenciais, antioxidantes e vitaminas (13, 14, 15).

A maior parte da canola no mercado é altamente refinada e não possui os antioxidantes contidos em óleos não refinados como o azeite extra-virgem, por exemplo

Óleo de Canola prejudica a saúde?

Embora o de canola seja um dos óleos mais utilizados na indústria alimentícia, comparativamente poucos estudos de longo prazo existem sobre seus impactos na saúde.

Além disso, muitos estudos sobre seus supostos benefícios para a saúde são patrocinados pela indústria de canola (16, 17, 18, 19).

Dito isso, algumas evidências sugerem que o óleo de canola pode afetar negativamente a saúde.

Inflamação Aumentada

Vários estudos em animais ligam esse óleo ao aumento da inflamação e do estresse oxidativo.

O estresse oxidativo refere-se a um desequilíbrio entre os radicais livres nocivos, que podem causar inflamação. E entre os antioxidantes, que previnem ou retardam os danos dos radicais livres.

Em um estudo, animais alimentados com uma dieta com 10% de óleo de canola experimentaram reduções em vários antioxidantes. Além de aumento nos níveis de colesterol LDL “ruins”, em comparação com ratos alimentados com óleo de soja.

Além disso, a dieta com esse óleo diminuiu significativamente o tempo de vida e levou a aumentos consideráveis ​​da pressão arterial (20).

Outro estudo recente, demonstrou que compostos formados durante o aquecimento do óleo de canola aumentaram certos marcadores inflamatórios (21).

Impacto na Memória

Em um estudo humano de um ano, 180 idosos foram aleatoriamente designados para uma dieta controle rica em óleos refinados, incluindo canola. Enquanto, outra parte fez uma dieta que substituiu todos os óleos refinados por 20 a 30 ml de azeite extra virgem por dia.

Notavelmente, aqueles do grupo do azeite experimentaram melhor função cerebral (22, 23).

Impacto na saúde do coração

Enquanto o óleo de canola é promovido como gordura saudável para o coração, alguns estudos contestam essa afirmação.

Em um estudo de 2018, 2.071 adultos relataram com que frequência usavam tipos específicos de gordura para cozinhar.

Entre os participantes com sobrepeso ou obesos, aqueles que usaram óleo de canola para cozinhar foram mais propensos a ter síndrome metabólica do que aqueles que raramente ou nunca usaram (24).

Em uma análise em 458 homens, aqueles que substituíram as gorduras saturadas por óleos vegetais não saturados apresentaram níveis de colesterol LDL “ruins”. Mas taxas significativamente mais altas de morte, doença cardíaca e doença arterial coronariana do que o grupo controle (25).

Além disso, uma revisão recente concluiu que é improvável que a substituição de gorduras saturadas por óleos vegetais reduza as doenças cardíacas. Além disso, não reduz morte por doenças cardíacas ou a mortalidade geral (26).

Mais pesquisas são necessárias sobre o esse óleo e a saúde do coração (27, 28).

Qual o óleo usar?

Bom se seu objetivo é ter uma alimentação saudável, não use o óleo de canola.

Substitua o óleo de soja e canola por Azeite extra virgem e óleo de coco.

Elimine também o consumo exagerado de açúcar. Se você não sabe como o açúcar age no seu organismo, confira esse material.

Evite o consumo de óleo de canola e de açúcar

Evite o consumo de óleo de canola e de açúcar

Abraços e Fique com Deus!

Dr. Juliano Pimentel

O Que Achou do Artigo? Deixe Sua Opinião Abaixo:
Tags : Alimentos ricos em ômega 6aumento de colesterolcanoladr. juliano pimentelEliminar a inflamaçãoinflamaçãoogmóleo de canolaóleo vegetalÓleo Vegetal de Canolasaúdesistema imunológico

The author Dr. Juliano Pimentel

Olá, eu sou o doutor Juliano Pimentel. Médico, fisioterapeuta e coach que ajuda as pessoas com conteúdos sobre saúde, alimentação e emagrecimento. Também sou celíaco e tenho uma vida de pesquisa sobre o Glúten.

Enviar Resposta