close
Dores

Diabetes tipo 1: Causas, Sintomas e Tratamentos

Diabetes tipo 1 afeta milhões de pessoas em todo o mundo, portanto, ter uma compreensão clara do transtorno, suas causas e sintomas são muito importantes.

O diabetes tipo 1 ou diabetes juvenil é um distúrbio metabólico caracterizado por níveis anormalmente altos de açúcar no sangue no corpo.

Muitos especialistas consideram o diabetes tipo 1 como o resultado final de uma resposta autoimune do seu próprio corpo (1).

Sem insulina produzida pelo corpo, os níveis de açúcar no sangue não podem ser modulados, e esses pacotes de energia fundamentais não podem ser distribuídos pelos sistemas de órgãos.

Ao contrário do diabetes tipo 2, que é causado pela resistência à insulina e pela falha na sinalização da leptina devido a dieta inadequada e falta de exercício, as pessoas com diabetes tipo 1 não produzem insulina e devem injetar insulina várias vezes ao dia para permanecerem vivas.

Saiba quais são as causas, os sintomas e os tratamentos do diabetes tipo 1.

Não deixe de ler e compartilhar!

Diabetes 1 e as Causas 

O diabetes tipo 1 aparece na maioria dos casos ser uma combinação de fatores genéticos, e ambientais que impedem seu corpo de produzir insulina no pâncreas.

Mais de 50 genes estão associados ao diabetes tipo 1 de várias maneiras, dificultando a determinação de um padrão ou causa genética precisa.

Mas estudos apontam uma relação entre a frutose e a diabetes (2).

A presença de enormes quantidades de frutose na dieta ocidental atual, é uma força por trás da nossa epidemia de diabetes.

Açúcar de mesa regular é de 50 por cento de frutose e 50 por cento de glicose, e os dois são metabolizados de forma muito diferente.

Quase todas as células do seu corpo foram projetadas para usar a glicose como energia – especialmente as células do cérebro, mas a frutose se decompõe em uma variedade de toxinas que podem ter efeitos devastadores na sua saúde.

A frutose tem os seguintes efeitos metabólicos adversos:

  • A frutose não estimula o aumento da leptina, então seus sinais de saciedade são suprimidos.
  • Aumenta a insulina e os triglicerídeos, o que efetivamente reduz a quantidade de leptina que atravessa a barreira hematoencefálica. Isso interfere na comunicação entre a leptina e o hipotálamo. Seu cérebro sente fome e pede para você comer mais.
  • Não suprime a grelina como a glicose. A grelina é o “hormônio da fome”, fazendo com que você queira mais comida.

Sintomas

Alguns dos primeiros sinais e sintomas do diabetes tipo 1 e, portanto, alto teor de açúcar no sangue, incluem:

  • Micção excessiva
  • Sede constante
  • Fome
  • Exaustão
  • Visão embaçada
  • Perda de peso inexplicável

Diabetes pode danificar os nervos e levar a uma condição chamada neuropatia diabética. Isso é comum nos pés.

Pequenos cortes, especialmente na parte inferior dos pés, podem se transformar rapidamente em úlceras e infecções graves. Isso é porque você não pode sentir ou ver os cortes, então você não os trata.

É por isso que é importante verificar regularmente os seus pés se tiver diabetes. Se você notar alguma lesão nos pés, avise seu médico imediatamente

Se notar qualquer combinação destes sintomas, deve ser imediatamente examinado por um médico.

Diagnóstico

Diabetes tipo 1 é geralmente diagnosticado através de uma série de testes. Como ela geralmente se desenvolve rapidamente, as pessoas são diagnosticadas se satisfizerem um dos seguintes critérios.

  • Glicemia de jejum> 126 em dois testes separados
  • Açúcar no sangue aleatório> 200, juntamente com sintomas de diabetes
  • Hemoglobina A1c> 6,5 em dois testes separados

Tratamentos

Diabetes tipo 1: Evite o excesso de carboidratos. Imagem: (Divulgação)

Além de acompanhamento médico e a aplicação da insulina, existe uma série de mudanças no estilo de vida, e remédios naturais que podem moderar significativamente os sintomas e ajudar os pacientes a viver uma vida mais normal.

A principal maneira de fazer isso é aumentar sua sensibilidade à insulina e à leptina, aumentando assim as chances de tratar o diabetes, ou até prevenir a doença.

1- Restrições alimentares

Além de uma longa lista de alimentos e ervas que você deve adicionar à sua dieta, há também um pouco que você deve eliminar. Isso inclui a estreita limitação de carboidratos, particularmente os açúcares simples.

Quando esses açúcares básicos são decompostos no corpo, eles causam um pico rápido de açúcar no sangue que o corpo não consegue controlar naturalmente.

Ao manter a sua ingestão de carboidratos sob controle, você é mais capaz de gerenciar a flutuação do açúcar no sangue e os sintomas consequentes.

A dieta low carb pode ser de grande ajuda.

2- Elimine Grãos e Açúcares, Especialmente Frutose

Uma grande razão para o fracasso do tratamento convencional do diabetes nos últimos 50 anos, tem a ver com recomendações dietéticas seriamente falhas.

Frutose e grãos são amplamente responsáveis ​​pelas reações adversas à insulina do seu corpo.

É fundamental eliminar todos os açúcares e grãos e o excesso de carboidratos, até os integrais, orgânicos ou germinados. Isso significa evitar todos os pães, massas, cereais, arroz, batatas e milho.

Você pode até precisar evitar frutas até que o açúcar no sangue esteja sob controle.

3- Otimize sua vitamina D

Otimizar os níveis de vitamina D auxilia o controle do diabetes. O ideal é que você exponha uma grande quantidade de sua pele para uma quantidade adequada de sol.

Você pode optar por usar um suplemento oral de vitamina D3. Mas lembre-se, se você optar por tomar um suplemento oral, é essencial que você obtenha o seu nível testado regularmente por um laboratório (3).

4- Diminua o estresse

Altos níveis de ansiedade e estresse podem causar estragos no corpo, causando pressão sanguínea elevada, insônia, metabolismo fraco, depressão, hábitos alimentares imprevisíveis e um sistema imunológico enfraquecido.

Quando combinado com diabetes, o estresse crônico pode ser francamente mortal, particularmente com um conjunto tão variado e perigoso de efeitos colaterais.

Use técnicas como yoga, acupuntura, meditação, massagem, técnicas de respiração e exercícios regulares para manter seus níveis de estresse baixos e garantir que seu corpo tenha uma chance de lutar normalmente (4).

5- Exercícios

O exercício é um fator absolutamente essencial e, sem ele, é improvável que você consiga controlar essa doença devastadora. É uma das formas mais rápidas e poderosas de reduzir a resistência à insulina e à leptina.

O diabetes tipo 1 pode ser gerenciado com tratamento adequado, como tomar insulina, ter uma dieta saudável e fazer exercício físico. Pessoas que gerenciam seu diabetes podem ter uma vida saudável.

Mas prevenir o diabetes tipo 1 é com certeza sua melhor opção.

E para ajudar você que se preocupa com uma alimentação saudável, precisa controlar ou prevenir a diabetes tipo 1 entre outras doenças e viver melhor, eu convido você a adquirir o e-book da minha esposa, Carol Pimentel.

O livro digital contém mais de 70 receitas deliciosas e low carb, desenvolvido para quem deseja ter uma alimentação extremamente saudável focada em eliminar o sobrepeso, evitar problemas de saúde e reverter os danos causados pela má alimentação passada.

Neste livro você vai aprender as melhores receitas de doces e salgados, sem medo de engordar.

Receitas simples e fáceis de preparar, e o melhor de tudo: Super acessíveis!

Clique na imagem abaixo e adquira agora o seu livro digital.

GOSTOSURAS LOW CARB

Abraços e fique com Deus,

Dr Juliano Pimentel.

O Que Achou do Artigo? Deixe Sua Opinião Abaixo:
Tags : açúcaracupunturacarboidratoscausasdiabetesdiabetes tipo 1diabetes tipo 2dieta low carbdistúrbio metabólicodr. juliano pimentelestresseestresse crônicoexercícios regularesflutuação do açúcar no sanguefrutoseGlicemia de jejumGostosuras Low CarbGrelinahemoglobina A1chipotálamoinfecções gravesinsulinainsulina no pâncreasleptinalow carbmeditaçãoMicção excessivaneuropatia diabéticasensibilidade à insulinasintomastriglicerídeosVisão embaçadavitamina D3

Autor Dr. Juliano Pimentel

Olá, eu sou o doutor Juliano Pimentel. Médico, fisioterapeuta e coach que ajuda as pessoas com conteúdos sobre saúde, alimentação e emagrecimento. Também sou celíaco e tenho uma vida de pesquisa sobre o Glúten.

1 Comentário

Enviar Resposta