close
Dores

Dores crônicas: Causas mais Comuns

Dr Juliano Pimentel

Se você sente dores por mais de três meses, você está com dor crônica.

Além de influenciar negativamente a autoestima, a dor crônica afeta a capacidade de trabalhar ou realizar tarefas simples do dia a dia. Nesse período alguns sintomas como ansiedade, irritabilidade, depressão, insônia, alterações no apetite e preocupação com o corpo, são os mais comuns.

Pessoas portadoras de dores crônicas já acordam se sentindo cansadas, mesmo tendo dormido por muitas horas. Além disso, o sono também é interrompido por causa da dor, e pacientes também apresentam problemas como apneia.

Outro sintoma comum em pacientes que portam dores crônicas é a dificuldade de se concentrar, prestar atenção e focar em atividades que demandem esforços mental. Além de não conseguir exercitar-se (1).

Segundo a Sociedade Brasileira para Estudo da Dor, as dores crônicas afetam pelo menos um terço da população mundial e já atinge 60 milhões de pessoas no Brasil.

À medida que ficamos mais velhos, os incômodos nas articulações, coluna e músculos aumentam. Para melhorar a qualidade de vida do paciente, é importante recorrer à ajuda médica, verificar as causas mais comuns da doença e buscar orientação para tratamento.

Neste artigo, irei explicar as causas mais comuns de dores crônicas.

Não deixe de ler e compartilhar.

Dores Crônicas

As causas de dores crônicas podem estar relacionadas ao distúrbio do sono, sedentarismo, ansiedade e depressão. A seguir confira outras causas comuns que afligem milhões de brasileiros (2):

>> A genética, por exemplo, é uma das causas, visto que a doença é recorrente em pessoas da mesma família, o que pode ser um indicador de que existem algumas mutações genéticas capazes de causar dores crônicas.

>> Infecções por vírus e doenças autoimunes também podem estar envolvidas nas causas de dores crônicas.

>> Ter uma péssima noite de sono ou dormir por menos de 7 horas por dia, pode apresentar diversos distúrbios ao organismo, dentre eles, as dores crônicas. Visto que o corpo precisa de horas de descanso para reparar danos causados no organismo (3).

>> Deficiência de magnésio no corpo também é uma das causas de dores crônicas. Uma das funções do magnésio é justamente bloquear os receptores cerebrais do glutamato, um neurotransmissor que pode tornar seus neurônios hipersensíveis à dor (4).

Além disso, há algumas doenças que estão ligadas às dores crônicas:

imagem_1
A artrite está relacionada com as dores crônicas

>> Artrite: é uma inflamação articular que gera sintomas como dor, deformidade e dificuldade no movimento, que ainda não tem cura. Em geral, seu tratamento é feito com medicamentos, fisioterapia e exercícios, mas, em alguns casos, pode-se recorrer à cirurgia.

A artrite pode ser causada por um traumatismo, excesso de peso, alimentação, desgaste natural da articulação ou devido a uma alteração no sistema imune de indivíduos predispostos ao problema.

Ela pode ser classificada como artrite reumatoide, artrite séptica, artrite psoriática, artrite gotosa (gota) ou artrite reativa, dependendo da sua causa.

(Leia mais sobre os sintomas, causas e tratamentos de artrite )

>> Lombalgia: a lombalgia pode ser definida como uma dor na região lombar, ou seja, na região mais baixa da coluna perto da bacia. A dor pode se estender para a região das nádegas e coxas.

Um por cento dos pacientes com lombalgia aguda tem ciática, que é definida como dor irradiada para o território de uma raiz nervosa lombar, frequentemente acompanhada de sintomas como dificuldade para andar e formigamento (5).

O problema pode ser causado por má postura, um mal jeito nas costas ou pode estar associado a outras doenças ortopédicas. Seu tratamento é feito com antiinflamatórios e analgésicos prescritos pelo seu médico.

(Leia mais sobre as causas e tratamentos para a lombalgia  )

 

>> Cefaléia: é o nome científico para a popular dor de cabeça. As dores de cabeça podem ser desencadeadas por estresse, fadiga, alergias, fadiga ocular, má postura, consumo de álcool ou drogas, baixa de açúcar no sangue, hormônios, constipação e deficiências nutricionais. Seu corpo está dizendo que algo precisa mudar, então comece a prestar atenção aos sinais.

 

>> Enxaqueca: é um tipo de dor de cabeça intensa, especialmente aquelas que são recorrentes e causam latejamento em um lado da cabeça. Enxaquecas tendem a piorar durante períodos de estressante ou de mudanças significativas de vida.

Antes de um “ataque de enxaqueca“, algumas pessoas têm a sensação de a enxaqueca está chegando porque começam a se sentir um pouco “fora de funcionamento” (sensações que os especialistas se referem como “auras” ou distúrbios visuais).

(Leia mais sobre as causas e tratamentos para enxaqueca  )

 

>> Fibromialgia: a síndrome é causada por um descontrole na forma como o cérebro processa os sinais de dor. Embora homens também sofram com a doença, ela é mais frequente em mulheres entre 20 e 50 anos (6).

A fibromialgia está ligada à fadiga, distúrbio do sono, dores de cabeça, ansiedade e depressão. Além disso, quem sofre da doença sente dores por todo o corpo durante longos períodos e sensibilidade nas articulações, nos músculos, tendões e outros tecidos moles.

(Leia mais sobre os sintomas, as causas e tratamentos para a fibromialgia )

 

> Tendinite: é uma forma de inflamação dolorosa nos tendões, que são partes do corpo que ligam os músculos aos ossos.

Geralmente, a tendinite é causada por movimentos repetitivos (como exercício intenso ou ficar sentado na mesma posição por horas), lesões ou inflamação acumulada ao longo do tempo. Tendinite pode causar muita dor por longos períodos de tempo. Ela é tratada de diferentes maneiras dependendo de onde está localizada no corpo.

 

A dor crônica é um problema complexo, difícil de ser curado e que exige um trabalho conjunto de profissionais de diferentes áreas e especialidades. Medicamentos e tratamentos, como a fisioterapia, podem ajudar para o alívio das dores. Por isso, procure ajuda médica se você sofre de dores crônicas.

O que também pode ajudar a aliviar as dores crônicas, é uma reeducação alimentar. Mas mesmo que você consuma de vez em quando alguns alimentos naturais, isso não é bastante para garantir a boa saúde e prevenir doenças. Se você costuma comer alimentos industrializados e processados, está à um passo ver a sua saúde minguar aos poucos.
Esse é o momento de transformar a sua saúde de forma efetiva! Eu trago a revolução da saúde, um projeto que pretende mudar a cara da alimentação e da saúde no Brasil! Você, os seus filhos e toda a família merecem uma transformação na saúde que realmente seja eficaz!
Eu desenvolvi um e-book para ajudar você a fazer essa transformação, com todas as informações que você precisa e um guia passo a passo para implementar.
Tenha acesso aos Bônus Exclusivos!!
Quer saber como conseguir? Então clique na imagem abaixo e adquira agora o meu livro digital:

VIVA MELHOR SEM GLÚTEN V 2.0

Ebook Viva Sem Glúten, Dr. Juliano Pimentel

Abraços e fique com Deus!

Dr. Juliano Pimentel.

BAIXE AGORA O MEU EBOOK SOBRE A DIETA DUKAN E CONHEÇA TODAS AS VERDADES SOBRE ELA!!!
O Que Achou do Artigo? Deixe Sua Opinião Abaixo:
Tags : artrite psoriáticaartrite reumatóideDeficiência de magnésiodestaquedoençasdoresdores crônicasdr. juliano pimentelestressefibromialgialombalgianeurônios hipersensíveis à dorsaúdesintomassintomas como dorTendinite

The author Dr. Juliano Pimentel

Olá, eu sou o doutor Juliano Pimentel. Médico, fisioterapeuta e coach que ajuda as pessoas com conteúdos sobre saúde, alimentação e emagrecimento. Também sou celíaco e tenho uma vida de pesquisa sobre o Glúten.

Enviar Resposta