close
Ser Pleno

Medicina Integrativa: Tratamento além dos sintomas físicos

Você já ouviu falar sobre medicina integrativa? É uma abordagem de atendimento que coloca o paciente no centro do atendimento. É um tratamento holístico. 

Ao invés dos sintomas e doenças, na medicina integrativa, o paciente, por inteiro é o foco.

Neste tipo de atendimento, são levados em consideração influências físicas, emocionais, mentais, sociais, espirituais e ambientais que afetam a saúde de uma pessoa.

Enfim, é realmente uma abordagem que busca a saúde completa. Não apenas a ausência de sintomas!

A medicina integrativa

A medicina integrativa atende uma demanda definida por saúde pela Organização Mundial da Saúde, onde considera a saúde como,  “um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doença ou enfermidade” (1).

Na medicina integrativa a participação do paciente é tão importante quanto o médico, os medicamentos e as outras abordagens utilizadas para cura. A decisão de querer se curar, se libertar de amarras nos campos emocionais, espirituais, por exemplo, é determinante para o sucesso do tratamento.  

Na medicina integrativa, o paciente esta no centro do tratamento.

Afinal, a medicina integrativa busca restaurar e manter a saúde e o bem-estar durante toda a vida de uma pessoa, compreendendo o conjunto único de circunstâncias do paciente e abordando toda a gama de influências físicas, emocionais, mentais, sociais, espirituais e ambientais que afetam a saúde. Por isso, é interativa (2).

É um tipo de tratamento em que os sintomas são vistos como sinais de algo que precisa ser transformado. E a participação do paciente nesse processo de cura é fundamental.

Ao personalizar os cuidados, a medicina integrativa vai além do tratamento dos sintomas, abordando todas as causas de uma doença.

Assim, são levadas em consideração as necessidades imediatas de saúde do paciente e os efeitos da interação complexa e de longo prazo entre influências biológicas, comportamentais, psicossociais e ambientais. 

Sendo assim, durante uma consulta integrativa, os médicos analisam estratégias para toda a pessoa que abordam os fatores subjacentes que influenciam sua saúde, em vez de apenas tratar os sintomas de uma condição de saúde.

A consulta é então uma revisão intensiva de seu histórico médico passado, problemas médicos atuais e seus objetivos de saúde desejados.

A abordagem ampla auxilia os médicos a definir um plano de cuidados ideal para cada um. Incluindo abordagens complementares quando aplicável, com o objetivo de otimizar sua vitalidade.

Medicina Convencional X Medicina Integrativa 

Na medicina convencional o tratamento é baseado exclusivamente na resolução de um sintoma. O paciente está com dores de cabeça, pode ser realizado algum exame de imagem para averiguar se há alguma alteração, caso esteja tudo normal, o médico irá prescrever alguma medicação para ajudar o paciente a controlar o sintomas.

Na medicina integrativa, no entanto, aspectos extras serão averiguados, como o estresse, cansaço, genética, relacionamentos, dentre outras situações. Tudo isso, para que o paciente consiga encontrar realmente a motivação da dor de cabeça. Senso assim, além do medicamento convencional, provavelmente práticas como meditação, respiração consciente, aromaterapia, acupuntura, por exemplo, serão sugeridas como meio de tratamento.

Enfim, ambas as práticas se concentram em apoiar o paciente como uma pessoa inteira. 

A medicina convencional se esforça para determinar a causa raiz de toda e qualquer doença, particularmente doenças crônicas, como doenças autoimunes e cardiovasculares, bem como diabetes e obesidade.

Em vez de simplesmente fazer um diagnóstico e, em seguida, determinar quais drogas ou cirurgia melhor tratarão a condição, os profissionais de Medicina Funcional mergulham profundamente na história e na bioquímica do paciente e perguntam por que esse paciente está doente. 

A medicina funcional é personalizada e geralmente inclui uma análise detalhada da composição genética de um indivíduo. 

Medicina Alternativa x Integrativa 

A medicina alternativa não tem a mesma abordagem que a medicina integrativa. Afinal, a medicina alternativa, como o próprio nome já diz, é uma atendimento alternativo ao  atendimento médico padrão.

Na medicina alternativa o tratamento é baseado na alimentação e em fórmulas medicinais naturais, baseada em ervas e outras plantas. O paciente  pode seguir uma dieta especial que alega curar hipertensão ou diabetes em vez de tomar os medicamentos prescritos pelo seu médico. Isso não é comum, mas acontece. Converse com seu médico antes de decidir pular o tratamento tradicional. 

Para um tratamento de hipertensão na medicina integrativa, por exemplo, pode ser proposto soluções  da medicina alternativa junto com abordagem da medicina tradicional, bem como mudanças de hábitos, tratamento psicológico e atividade física, por exemplo. 

Princípios da Medicina Integrativa

É importante estar claro, que a medicina integrativa é uma especialidade médica. Isso significa que você pode encontrar um médico certificado em medicina integrativa e confiar que seus tratamentos serão seguros e comprovadamente funcionais. 

  • Uma estreita parceria com seu médico
  • Foco nos tratamentos não invasivos quando possível
  • Compromisso com tratamentos com base em evidências de que eles funcionam
  • Consideração de tudo o que influencia sua saúde, incluindo o ambiente doméstico

E se você quer realmente ter uma saúde completa, em todos os aspectos da sua vida, eu tenho um convite especial!

Preparei uma Jornada incrível de 01 a 08 de junho para ajudar você a ter uma saúde Plena e tornar-se inabalável.

As inscrições já estão abertas. Clique na imagem acima e cadastre-se GRATUITAMENTE!

Abraços e fique com Deus!!

Dr. Juliano Pimentel

🔴 Curta também as redes sociais! 📷Instagram / 👍Facebook / 🎥 YouTube

O Que Achou do Artigo? Deixe Sua Opinião Abaixo:
Tags : medicina alternativamedicina integrativasaúde holística

Autor Dr. Juliano Pimentel

Olá, eu sou o doutor Juliano Pimentel. Médico, fisioterapeuta e coach que ajuda as pessoas com conteúdos sobre saúde, alimentação e emagrecimento. Também sou celíaco e tenho uma vida de pesquisa sobre o Glúten.

Enviar Resposta