close
ArtigosDores

Sinusite: O Que É e Como Tratar o Problema

Dr Juliano Pimentel

Sinusite é uma inflamação ou inchaço do tecido que reveste os seios da face, que pode resultar em infecção, acúmulo de muco e dor.

Normalmente, os seios nasais são preenchidos com ar, mas quando eles estão bloqueados e cheios de líquidos, se tornam um ambiente propício para que germes, bactérias, vírus e fungos cresçam e causem infecção.

As causas mais comuns de infecções sinusais incluem infecções respiratórias, alergias, pólipos nasais e baixa imunidade.

Neste artigo vou abordar as causas, diagnósticos e tratamentos do problema.

Não deixe de ler e compartilhar.

Sinusite

A sinusite é uma inflamação da mucosa dos seios da face, região do crânio formada por cavidades ósseas ao redor do nariz, maçãs do rosto e olhos.

Pode ser consequência de uma infecção, quadro alérgico ou qualquer fator que atrapalhe a correta drenagem de secreção dos seios da face.

O nome mais utilizado é rinossinusite, pois o processo inflamatório atinge tanto a mucosa dos seios da face como a mucosa nasal.

A boa notícia é que a sinusite tem tratamento, que deve ser orientado por um clínico geral ou otorrinolaringologista.

Causas

A sinusite pode ser causada por agentes infecciosos, como bactérias, fungos e vírus, ou por fatores alérgicos.

Poeira, choque térmico e cheiros fortes são listados como desencadeadores da rinopatia alérgica.

Exposição a determinados agentes químicos e alterações na anatomia nasal, ou dos seios da face fazem parte do outro grupo de responsáveis pela sinusite.

Há ainda, casos mais raros que levam à sinusite, como a presença de um tumor.

A doença pode ser dividida em:

  • Aguda: quando os sintomas estão presentes por um período inferior a 12 semanas;
  • Crônica: quando o inchaço e a inflamação dos seios nasais estão presentes por mais de 12 semanas.

Fatores de risco 

Alguns fatores de riscos estão entre as causas mais comuns de sinusite crônica, eles incluem:

>> Pólipos nasais: crescimentos de tecido na área que podem bloquear as passagens nasais, ou seios da face;

>> Reações alérgicas: a sinusite pode ser causada pela exposição à substâncias transportadas pelo ar, como ácaros e poeira, poluição, pólen, mofo, pelos de animais, fumaça de cigarro e partículas de insetos. Substâncias químicas como tinta, desinfetantes e produtos de limpeza também podem desencadear o quadro;

>> Alergias: outras doenças alérgicas, como rinite e asma, podem favorecer um quadro de sinusite. A inflamação que ocorre devido às alergias pode bloquear seus seios nasais;

>> Desvio de septo nasal: quando a parede entre as narinas não está alinhada, pode haver restrição ou bloqueio das passagens no seio nasal

>> Trauma na face: um osso facial fraturado ou quebrado pode causar obstrução das vias nasais;

>> Baixa imunidade: complicações de fibrose cística, refluxo gastroesofágico, AIDS e outras doenças relacionadas com o sistema imunológico podem resultar na obstrução nasal. Cuide da imunidade;

>> Infecções respiratórias: gripe, resfriado e outras doenças do trato respiratório quando não são bem tratadas podem inflamar e engrossar as membranas sinusais;

>> Tabagismo: fumar está ente os fatores de risco;

>> Infecções odontológicas: em casos que obstruem os seios nasais.

Sintomas

sinusite-dr-juliano-pimentel-1
Sinusite: A dor de cabeça é um dos sintomas. Imagem: (Divulgação)

A sinusite crônica e sinusite aguda têm sinais e sintomas semelhantes, mas a sinusite aguda é uma infecção temporária dos seios muitas vezes associada a um resfriado.

Já a rinossinusite crônica corresponde a um processo inflamatório com duração prolongada.

Os principais sintomas da sinusite são o surgimento de secreção nasal espessa e amarelada, acompanhada de sensação de peso ou pressão no rosto.

No entanto, outros sintomas que também podem aparecer incluem:

  • Dor de cabeça, que pode se espalhar para os olhos e nariz;
  • Dor de garganta;
  • Dificuldade para respirar;
  • Perda do olfato e gosto;
  • Mau hálito;
  • Tosse.

Os sintomas de sinusite podem ser muito semelhantes aos de alergia e, por isso, quando a alergia dura mais de 7 dias é preciso que seja avaliada por um clínico geral ou otorrinolaringologista, para iniciar o tratamento adequado.

Embora sejam muito raras, as complicações da sinusite podem incluir: Abscesso (acúmulo de pus que se forma no interior dos tecidos do corpo); Infecção óssea; Meningite e Infecção em região de órbita pálpebras.

Diagnóstico 

O diagnóstico da sinusite deve ser feito por um otorrinolaringologista e, normalmente, é feito através da observação dos sintomas e palpação dos seios nasais, para constatar se existe ou não sensibilidade nessa região.

Porém, outros exames podem ser solicitados:

>> Endoscopia nasal: neste procedimento é introduzido um pequeno tubinho pelo nariz para observar o interior dos seios nasais, podendo identificar se existem outras causas, como pólipos nasais que possam estar provocando a sinusite;

>> Tomografia computadorizada: avaliam a presença de uma inflamação profunda que pode não ser identificada com a endoscopia nasal, e também permitem observar a anatomia dos seios nasais;

>> Coleta de secreções nasais: o médico recolhe uma pequena amostra das secreções nasais, para enviar para o laboratório e avaliar a presença de micro-organismos como bactérias ou vírus;

>> Teste de alergia: os testes de alergia servem para identificar uma causa alérgica, quando o médico não consegue encontrar vírus ou bactérias como causas da sinusite.

Tratamento

Alguns tratamentos são recomendados para ajudar a aliviar os sintomas, e incluem:

1-Solução salina

A mistura de água e sal ajuda a dissolver as secreções nasais. Você pode inalar a solução salina ou pingá-la em seu nariz. O ideal é misturar uma colher de chá de sal para cada litro de água.

2-Corticoides nasais

Sprays nasais ajudam a prevenir e tratar a inflamação.

Ao contrário de corticosteroides orais, esses medicamentos têm um risco relativamente baixo de efeitos colaterais e são geralmente seguros para uso contínuo, uma vez que agem diretamente nos sinos nasais, em vez de passarem primeiro pela corrente sanguínea.

Use somente com orientação médica.

3-Corticosteroides orais ou injetáveis

Estes medicamentos são utilizados para aliviar a inflamação de sinusite grave, e podem causar sérios efeitos colaterais quando usados durantes longos períodos.

Use somente com orientação médica.

4-Antibióticos

Os antibióticos são necessários para o tratamento de sinusites bacterianas.

Usado com prescrição médica.

5-Cirurgia

Nos casos em que a sinusite resiste ao tratamento, a cirurgia endoscópica pode ser uma opção.

Para esse procedimento, o médico utiliza um endoscópio (tubo fino e flexível com uma luz ligada na ponta) para explorar suas passagens nasais.

Como Prevenir a Sinusite

A melhor forma de prevenir a sinusite aguda é manter a mucosa nasal hidratada, tratar a rinite alérgica e procurar um médico para acompanhar gripes e resfriados.

Mas há outros hábitos que podem ajudar na prevenção:

1-Alimentação saudável

Manter uma dieta que inclui todos os grupos alimentares é fundamental para fortalecer a imunidade.

De acordo com pesquisas, os micronutrientes essenciais para o fortalecimento da imunidade são as vitaminas A, B6, B12, C, D, E, ácido fólico, zinco, ferro, selênio e cobre.

Eles restauram a proteção contra infecções, fortalecem as células do sistema imunológico e aumentam a produção de anticorpos.

2- Beba água

A hidratação pode prevenir a ocorrência de infecções.

É necessário ingerir cerca de dois litros de água por dia para permitir uma boa hidratação das mucosas.

3-Evite os gatilhos

Tomar medidas para reduzir a sua exposição a fatores que provocam sintomas de sinusite é uma parte fundamental do controle da doença.

Manter a casa sempre limpa e evitar o acúmulo de poeira podem ajudar a prevenir uma crise.

4-Inale vapor

A inalação de vapor é um método de evitar o problema, já que promove a limpeza das vias aéreas. Além disso, o hábito facilita a eliminação do catarro acumulado.

5-Testes para alergias

Os testes para alergias respiratórias são feitos para detectar qual é o agente causador da sinusite. Com o teste, é possível evitar a exposição ao agente, prevenindo crises de sinusite.

6-Não fume

O cigarro é prejudicial para todas as pessoas, mas para o alérgico ele pode ser ainda mais destrutivo. O fumo favorece a evolução de alergias respiratórias e asma.

7- Exercícios físicos

A prática de atividade física é muito importante para controlar doenças respiratórias. Qualquer atividade aeróbia promove a melhora do sistema cardiorrespiratório, diminuindo a ocorrência de crises de sinusite.

8- Lavagem nasal

A lavagem nasal deixa as secreções concentradas nos seios nasais mais líquidas, facilitando a drenagem. Especialistas recomendam o uso de soro fisiológico.

Vale lembrar que a frequência da lavagem depende da necessidade do paciente.

Alimentos para quem tem sinusite

Alguns alimentos devem fazer parte da alimentação de quem tem sinusite, pois ajudam a tratar os sintomas:

  • Água – a hidratação adequada é a chave para liberar o vírus de seu sistema. Tente beber pelo menos 8 onças a cada 2 horas;
  • Raiz forte – Qualquer pessoa que acidentalmente tenha comido raiz forte demais experimentou a sua potente capacidade de limpar passagens nasais. Misture a raiz forte com limão para torná-lo ainda mais potente;
  • Gengibre – Faça um chá de gengibre e adicione o mel cru para ajudar na desobstrução nasal;
  • Alho e cebola – Ambos os vegetais ajudam a aumentar a função imunológica;
  • Alimentos ricos em vitamina C – Consumir alimentos ricos em vitamina C pode aumentar o sistema imunológico, e acelerar a recuperação da sinusite.

O que Evitar

Alguns alimentos pioram os sintomas da sinusite, veja quais deles você deve evitar:

  • Açúcar – O açúcar aumenta as infecções;
  • Produtos lácteosLeite e outros produtos lácteos colaboram para a produção de muco, por isso, é melhor evita-los;
  • Farinha refinada e grãos – Todos os grãos refinados podem causar mais produção de muco;
  • Sal – Sem ingestão de água adequada, o sal pode desidratar o organismo e dificultar a cura da inflamação dos seios.

Além dos remédios indicados e do tratamento médico, seguir alguns cuidados ajudam os sintomas de sinusite a desaparecer mais rapidamente, como lavar o nariz com soro fisiológico, evitar ficar muito tempo em locais fechados, beber entre 1,2 a 2 litros de água por dia e manter uma alimentação de verdade.

Te convido também a assistir o meu vídeo sobre o assunto:

Sinusite – Como Lidar Com Ela?

E para ajudar você que se preocupa com uma alimentação saudável, e que ajude a prevenir doenças eu convido a adquirir o e-book da minha esposa, Carol Pimentel.

O livro digital contém mais de 70 receitas deliciosas e low carb, desenvolvido para quem deseja ter uma alimentação extremamente saudável focada em eliminar o sobrepeso, evitar problemas de saúde e reverter os danos causados pela má alimentação passada.

O açúcar, carboidratos vazios e industrializados causam diversos tipos de doenças e inflamações, e eles estão totalmente fora das receitas desse e-book.

Neste livro você vai aprender as melhores receitas de doces e salgados, sem medo de engordar.

Receitas simples e fáceis de preparar, e o melhor de tudo: Super acessíveis!

Clique na imagem abaixo e adquira agora o seu livro digital.

GOSTOSURAS LOW CARB

Abraços e fique com Deus!

Dr. Juliano Pimentel.

O Que Achou do Artigo? Deixe Sua Opinião Abaixo:

Você pode Gostar

Tags : ácarosagentes infecciososAIDsalergiasbaixa imunidadeCarol PimenteldestaqueDesvio de septo nasaldordr. juliano pimentele-bookfibrose císticafumaça de cigarrofungosgermesGostosuras Low CarbinfecçãoInfecções odontológicasInfecções respiratóriasinflamação da mucosainflamação dos seios nasaislow carbMeningiteotorrinolaringologistaPólipos nasaispoluiçãoReações alérgicasriniterinossinusitesaúdesecreção nasalseios nasaissinusitesinusite crônicasistema imunológicoTabagismotratamentoTrauma na facetumorvitaminas A

The author Dr. Juliano Pimentel

Olá, eu sou o doutor Juliano Pimentel. Médico, fisioterapeuta e coach que ajuda as pessoas com conteúdos sobre saúde, alimentação e emagrecimento. Também sou celíaco e tenho uma vida de pesquisa sobre o Glúten.

2 Comentários

Enviar Resposta