close
Alimentação

Sinais De Que Você Não Está Comendo Suficiente

Dr Juliano Pimentel

Quando ganhamos peso de forma demasiada, o problema pode estar relacionado ao fato de comer demais. Mas, quando se está tentando perder peso, também pode haver problemas na forma de se alimentar. Nesse caso, é que você não está comendo suficiente.  

Comer muito pouco pode ter consequências sobre o funcionamento do seu corpo também: certos nutrientes, como as vitaminas A e D, precisam se dissolver na gordura dietética antes de serem transportados para a corrente sanguínea. Então, se você está comendo muito pouco, seu corpo não poderá usar esses nutrientes que você come. E o peso que você perde não será o tipo que você gostaria.

Se você faz jejum, não esqueça que durante a janela de alimentação você precisa fazer boas escolhas alimentares para suprir sua necessidade de nutrientes.

Neste artigo mostrarei os sinais mais comuns de que você não está comendo suficiente.  

Não deixe de ler e compartilhar!

Sinais de que você não está comendo suficiente

A ingestão inadequada de alimentos pode ser a principal causa de seus problemas de saúde. Os primeiros sinais de que você não está comendo suficiente estão relacionados aos seguintes fatores:

  1. Níveis de baixa energia

As calorias são unidades de energia que seu corpo usa para funcionar. Quando você não come suficiente e, principalmente, quando você não come bem seu corpo sente a falta de nutrientes. Você se sente cansado, uma vez que não está absorvendo nutrientes suficientes para suportar as funções básicas que o mantêm vivo (1).

  1. Perda de cabelo

É normal perder vários fios de cabelo diariamente. No entanto, se você perceber uma quantidade aumentada de cabelos acumulando em sua escova de cabelo ou dreno do chuveiro, pode ser um sinal de que você não está comendo corretamente.

Muitos nutrientes são necessários para manter o crescimento normal e saudável do cabelo. A ingestão inadequada de calorias, proteínas, biotina, ferro e outras vitaminas e minerais é uma causa comum de perda de cabelo (2).

Basicamente, quando você não absorve calorias e nutrientes essenciais, seu corpo dará prioridade à saúde do seu coração, cérebro e outros órgãos sobre o crescimento do cabelo.

  1. Fome Constante

Estar com fome o tempo todo é um dos sinais mais óbvios de que você não está comendo comida suficiente. Estudos confirmam que o apetite e os desejos alimentares aumentam em resposta à má alimentação, devido a mudanças nos níveis de hormônios que controlam a fome e a plenitude (3).

  1. Incapacidade de ficar grávida

O hipotálamo e a glândula pituitária localizadas no seu cérebro trabalham em conjunto para manter o equilíbrio hormonal, incluindo a saúde reprodutiva. O hipotálamo recebe sinais de seu corpo que permitem saber quando os níveis hormonais precisam ser ajustados.

Com base nos sinais que recebe, o hipotálamo produz hormônios que estimulam ou inibem a produção de estrogênio, progesterona e outros hormônios pela glândula pituitária. A pesquisa mostrou que este sistema complexo é altamente sensível às mudanças na ingestão calórica e no peso (4).

Quando a ingestão de nutrientes ou a porcentagem de gordura corporal caem muito baixas, os sinais podem se tornar prejudicados, levando a mudanças na quantidade de hormônios liberados.

  1. Problemas de sono

Além disso, enquanto o consumo excessivo pode causar dificuldade de sono, parece que uma dieta rigorosa pode levar a problemas de sono também. Isso ocorre porque a restrição calórica de nível de fome leva a interrupções do sono e uma redução no sono de ondas lentas, também conhecido como sono profundo (5).

  1. Irritabilidade

Se pequenas coisas começaram a te irritar, isso pode estar relacionado a não comer os nutrientes suficientes. Um estudo mais recente de 413 estudantes da faculdade e do ensino médio também descobriu que a irritabilidade foi associada à dieta e padrões de alimentação restritivos (6).

  1. Sentir frio todo o tempo

Se você constantemente se sentir frio, não comer comida suficiente pode ser a causa. Seu corpo precisa queimar um certo número de calorias para criar calor e manter uma temperatura corporal saudável e confortável (7).

  1. Constipação

Os movimentos intestinais infrequentes podem estar relacionados à ingestão de nutrientes inadequada.

A constipação é tipicamente descrita como tendo três ou menos movimentos intestinais por semana ou com fezes pequenas e duras que são difíceis de passar. Isso é muito comum em pessoas mais velhas e pode ser piorado pela má alimentação (8).

  1. Ansiedade

A ingestão inadequada de nutrientes pode levar a distúrbios, ansiedade e depressão em adolescentes e adultos.

Para minimizar a ansiedade, certifique-se de consumir calorias suficientes e de comer uma dieta saudável que inclua uma abundância de peixes gordurosos para garantir que você receba ácidos graxos ômega-3, o que pode ajudar a reduzir o problema (9).

Outros sinais de que você não está comendo suficiente, podem estar relacionados à:

– Febre;

– Vômitos e diarreias;

– Fadiga;

– Baixa Imunidade;

– Problema na construção de massa muscular;

– Falta de concentração e dificuldade em aprender;

– Dor muscular, óssea e articular;

– Mudanças de açúcar no sangue que podem levar à diabetes;

– Cicatrização lenta de feridas.

Então, quanto é a quantidade certa para comer para perda de peso saudável? Depende do seu peso. O seu peso corporal determina a sua “taxa metabólica basal”, que é uma medida de quantas calorias você queima em repouso – basicamente, a quantidade de energia que seu corpo precisa simplesmente para funcionar.

Mantenha-se nutrido com a alimentação de verdade e procure orientação médica.

Abraços e fique com Deus!

Dr. Juliano Pimentel.

BAIXE AGORA O MEU EBOOK SOBRE A DIETA DUKAN E CONHEÇA TODAS AS VERDADES SOBRE ELA!!!
O Que Achou do Artigo? Deixe Sua Opinião Abaixo:
Tags : alimentaçãocomendo suficientedestaquedr. juliano pimentelnutrientenutrientessaúde

The author Dr. Juliano Pimentel

Olá, eu sou o doutor Juliano Pimentel. Médico, fisioterapeuta e coach que ajuda as pessoas com conteúdos sobre saúde, alimentação e emagrecimento. Também sou celíaco e tenho uma vida de pesquisa sobre o Glúten.

Enviar Resposta