close
Dores

Monges: O que você Pode Aprender Com Eles?

Monges são pessoas que praticam o ascetismo religioso pela vida monástica, sozinha ou com qualquer número de outros monges. Pode ser uma pessoa que decidiu dedicar sua vida a servir todos os outros seres vivos, ou ser um asceta que voluntariamente escolhe deixar a sociedade dominante e viver sua vida em oração e contemplação.

O conceito é antigo e pode ser visto em muitas religiões e na filosofia. Mas reflete muito do que precisamos aprender nos dias atuais, principalmente diante da correria e do estresse que tornou as nossas vidas e nos distancia cada vez mais de hábitos saudáveis e de uma alimentação de verdade.

A disciplina de um monge é refinada e se destina a conduzir ao surgimento da atenção e da sabedoria. Embora não seja um fim em si, os ensinamentos dos Monges são ferramentas excelentes, que pode ser fundamental para levar ao fim do sofrimento.

O exercício da paciência e a meditação são apenas dois poderosos ensinamentos dos Monges para as nossas vidas. E, o melhor, ensinamentos que podem, e devem, serem inclusos em tudo que formos fazer.

Nesse artigo apresentarei o que você pode aprender com os monges.

Não deixe de ler e compartilhar.

Aprendendo com os Monges

Monges: Paz interior

Os monges e suas tradições podem, e muito, nos ajudar em várias ações do nosso dia a dia. Muitas desses ensinamentos podem ser aplicados no processo de emagrecimento e na busca pelo sucesso. A seguir, listaremos algumas coisas que você pode aprender com os Monges.

1. Continue tentando até você entender

A lição de vida mais importante que os monges podem te ensinar é tentar algo três vezes (talvez até quatro vezes) antes de parar de tentar e seguir em frente. Além disso, os monges ensinam que, mesmo depois de várias tentativas, você deveria trabalhar em diferentes ângulos para abordar coisas que são difíceis. Se você continuar tentando, chegará no seu objetivo final.

2. A resposta para sua pergunta está dentro de você

Um provérbio chinês diz: “Os professores abrem a porta, mas você deve entrar por você mesmo”. Algumas formas do budismo zen usam um estilo muito similar de treinamento. Um velho ditado (por monges) é assim: Ao fazer uma mesa de quatro cantos, o professor mostra ao aluno como fazer uma quina. É o trabalho do aluno descobrir como fazer as outras três.

Na vida, sempre que tentamos coisas novas, temos que entrar em novos lugares com apenas uma pequena quantidade de informações. O mundo real não nos dá todas as respostas. O grande professor está dentro de nós.

3. A verdadeira sabedoria na vida vem de fazer algo e falhar

É normal ficarmos chateados quando tentamos algo e falhamos. Mas são as falhas que nos fazem bons em algo. Quando começamos uma meditação, o principal ponto dos monges, é normal encontrarmos vários problemas. Por exemplo, no início é difícil acalmar-se. Mas se você focar nisso, fica mais fácil.

Quando falhamos, aprendemos sobre nós mesmos e sobre o que precisamos fazer para nos fortalecer. Por isso, os monges nos ensinam que a verdadeira sabedoria na vida vem de fazer algo e falhar.

4. Meditação e mente egoísta

Tudo no ego é o resultado da comparação. Quando começamos a fazer meditação, começamos a construir uma separação dessa mente egoísta, que está consistentemente fazendo essas comparações. Muitos de nós tentamos algo e somos rejeitados, então desistimos. Pior ainda, nos culpamos por muito tempo e ficamos deprimidos.

Mas quando começamos a fazer meditação, é possível identificar o ego e conseguir separar-se disso. Isso é o que acontece quando meditamos: nos separamos da parte de nós mesmos que se baseia em comparações e começamos a aprender a viver uma vida que não é conduzida por nossos egos.

5. Devemos ser compassivos e resilientes

Quantas vezes você precisa ligar ou enviar um e-mail para alguém, para fazer algo no mundo real? Geralmente é várias vezes. A maioria de nós se culpa quando tentamos fazer algo e falhamos. Essa é uma das lições de vida mais importantes que aprendemos com os monges: precisamos ser compassivos, mas não fracos.

6. Mais meditação e menos estresse

A meditação é verdadeiramente uma experiência de desenvolvimento cerebral. Nossos próprios pensamentos, as percepções sobre nossas vidas ajudam a moldar nossas estruturas físicas do cérebro. (1)

Em outras palavras, quanto mais treinamos para o pensamento positivo e manipulando o estresse habilmente usando a meditação, é mais provável que pensemos coisas positivas no futuro e vejamos o mundo de forma mais otimista (claro, o oposto também é verdade). A meditação também tem impactos profundos na redução do estresse, níveis de cortisol e, portanto, numerosas condições de saúde relacionadas aos efeitos negativos do estresse.

A meditação ajuda as pessoas a se concentrarem nos fatos de uma situação, e a separar velhas crenças ou experiências, oferecendo novas possibilidades para lidar com tempos difíceis de forma mais saudável, diminuindo o sofrimento psicológico geral. (2)

7. Abra mão ego

No começo, é difícil sentar-se em um restaurante sozinho. Você está constantemente preocupado, pensando que as pessoas provavelmente pensam que você é um perdedor porque está sentado sozinho. Mas a realidade é que você nunca será feliz se você se preocupar com o que as pessoas pensam.

Antes de começar a meditação, é normal ficar chateado com qualquer coisa. Mas depois, nada realmente irá incomodar. Use um tempo de espera, como em um aeroporto em voo atrasado, e faça meditação. Um tempo perdido que poderia arruinar seu dia, pode ser utilizado para aprendizado.

8. A felicidade vem de dentro, e também vem de fora

As observações dos budistas são as mais felizes e mais compassivas. Ao desenvolver a felicidade no interior, conseguimos aumentar esse estado emocional, espalhando-o para outros. Devemos cultivar a felicidade interna, e trabalhar para espalhá-la para todos com os quais interagimos. O monge diz: Todos têm um propósito ou uma missão na vida. Por isso, temos que encontrar a felicidade interior, e também encontrar o nosso propósito por fora.

Mas mesmo que você consuma de vez em quando alguns alimentos naturais, isso não é bastante para garantir a boa saúde e prevenir doenças. Se você costuma comer alimentos industrializados e processados, está à um passo ver a sua saúde minguar aos poucos.

Além buscar a felicidade interior e o seu desenvolvimento pessoal, é essencial também, dar importância à como você alimenta o seu corpo físico. Não adianta cuidar de aspectos espirituais e internos, se você consome alimentos industrializados, processados e ricos em açúcares, glúten, conservantes e assim por diante.

Esse é o momento de transformar a sua saúde de forma efetiva! Eu trago a revolução da saúde, um projeto que pretende mudar a cara da alimentação e da saúde no Brasil! Você, os seus filhos e toda a família merecem uma transformação na saúde que realmente seja eficaz!

Eu desenvolvi um e-book para ajudar você a fazer essa transformação, com todas as informações que você precisa e um guia passo a passo para implementar.

Tenha acesso aos Bônus Exclusivos!!

Quer saber como conseguir? Então clique na imagem abaixo e adquira agora o meu livro digital:

VIVA MELHOR SEM GLÚTEN V 2.0

Ebook Viva Sem Glúten, Dr. Juliano Pimentel

Abraços e fique com Deus!
Dr. Juliano Pimentel.

O Que Achou do Artigo? Deixe Sua Opinião Abaixo:

Você pode Gostar

Tags : ascetismo religiosobudistasdesenvolvimento cerebraldr. juliano pimentele-bookegoensinamentos dos Mongesestado emocionalestressefelicidade interiorfelizmeditaçãomongeníveis de cortisolpensamentosprocesso de emagrecimentoprofessorRevolução da Saúdesaúdetradiçõesvida monástica

The author Dr. Juliano Pimentel

Olá, eu sou o doutor Juliano Pimentel. Médico, fisioterapeuta e coach que ajuda as pessoas com conteúdos sobre saúde, alimentação e emagrecimento. Também sou celíaco e tenho uma vida de pesquisa sobre o Glúten.

Enviar Resposta