close
ArtigosDores

Obesidade mórbida – Qual a diferença e os perigos

A obesidade é um problema de saúde cada vez maior, principalmente quando se trata de obesidade mórbida. Isso porque, à medida que aumenta o número de pessoas com sobrepeso e obesidade, aumenta também o número de obesos gravemente ou mórbidos.

A obesidade mórbida é uma doença grave que resulta de um índice de massa corporal anormalmente alto.

Quer saber mais sobre a obesidade mórbida e os perigos desta doença?

Leia o artigo completo, comente o que você achou e compartilhe!

Obesidade mórbida

Uma pessoa com obesidade mórbida pode ter dificuldade em desempenhar funções diárias, como andar e respirar, e tem um risco maior de ter sérios problemas de saúde.

Em teoria, qualquer um pode se tornar obeso mórbido. Para alguém ganhar peso e se tornar obeso mórbido, eles devem consumir mais calorias do que seu corpo pode queimar e usar. O corpo armazena as calorias desnecessárias como gordura.

À medida que mais e mais calorias são consumidas, as reservas de gordura aumentam, levando assim, à obesidade ou, na pior das hipóteses, à obesidade mórbida.

Fatos rápidos sobre a obesidade mórbida:

  • A condição é caracterizada por ter uma quantidade extrema de excesso de gordura corporal.
  • Um médico diagnostica com um exame físico e algumas questões básicas.
  • Para a maioria das pessoas, a obesidade mórbida é evitável e pode ser revertida.

O que é obesidade mórbida?

A obesidade mórbida é quando uma pessoa tem quantidades extremas de excesso de gordura corporal e um índice de massa corporal ou IMC superior a 35.

O IMC é uma escala que ajuda os médicos e outros profissionais médicos a determinar se uma pessoa está dentro de um intervalo de peso saudável.

O IMC é dividido da seguinte maneira:

  • Normal : 19,0 a 24,9
  • Excesso de peso : 25,0 a 29,9
  • Estágio obeso 1 : 30.0–34.9
  • Estágio obeso 2 : 35.0–39.9
  • Estágio de obesidade mórbida 3 : 40.0 ou maior

Ou seja, quando uma pessoa é obesa mórbida, ela corre maior risco de doença cardíaca. Além disso, têm também certas doenças e condições que afetam diretamente sua qualidade de vida.

Como a obesidade mórbida difere da obesidade?

No entanto, uma pessoa pode ser obesa sem ser considerada obesa mórbida. Uma pessoa que é obesa tem um IMC de 30 ou acima. Porém, uma pessoa obesa tem uma chance maior de desenvolver:

  • diabetes
  • acidente vascular encefálico
  • doença cardíaca
  • pressão alta
  • artrite

Sendo assim, a obesidade mórbida ocorre quando uma pessoa atinge um nível de obesidade que aumenta consideravelmente as chances de desenvolver uma dessas condições.

Estas condições são muitas vezes referidas como comorbidades e são responsáveis ​​por causar incapacidades ou mesmo morte.

Fatores de risco

Embora quase todos possam se tornar obesos mórbidos, certos fatores colocam a pessoa em risco maior do que outros. Estes incluem o seguinte:

  • Fatores genéticos: algumas pesquisas indicam que pessoas com histórico familiar de obesidade ou obesidade mórbida, por exemplo, têm mais probabilidade de se tornarem obesos mórbidos (1).
  • Hábitos pessoais: A comida que uma pessoa escolhe para comer e o nível de atividade de uma pessoa afetam se ela está ou não acima do peso ou obesa.
  • Fatores mentais: Estresse, bem como, ansiedade podem levar alguém a engordar, pois podem levar o corpo a produzir mais hormônio do estresse, o cortisol. Afinal, o cortisol leva ao armazenamento de gordura e ganho de peso.
  • Hábitos de sono: A falta de sono também pode ser outro contribuinte para o ganho de peso.
  • Ser mulher: muitas mulheres têm dificuldade em perder peso na gravidez e são propensas a ganhar peso durante a menopausa, por exemplo (3, 4) .
  • Certos problemas médicos: alguns problemas médicos podem causar obesidade, incluindo a síndrome de Cushing ou a síndrome de Prader-Willi .
  • Alguns medicamentos: Antidepressivos, bem como, betabloqueadores são apenas algumas das drogas que podem causar ganho de peso.
  • Envelhecimento: por fim, à medida que os adultos envelhecem, a desaceleração do metabolismo e estilos de vida sedentários, podem tornar as pessoas mais propensas a ganhar peso.

Sintomas

O principal sintoma da obesidade mórbida é ter um IMC de 35 ou mais e problemas de saúde relacionados à obesidade, como diabetes ou hipertensão. Além disso, outros sintomas podem incluir:

  • acúmulo de gordura em excesso ao redor do corpo
  • assim como, ficar facilmente sem fôlego
  • dificuldade para andar
  • por fim, problemas respiratórios

Diagnóstico

Geralmente o primeiro passo para o diagnóstico é entender o histórico familiar. Além disso, o médico pode medir o IMC para determinar se ele é obeso ou mórbido.

O IMC é uma estimativa e não uma medida exata da gordura corporal.

A obesidade mórbida precisa ser tratada
A obesidade mórbida precisa ser tratada

Além disso, o médico, pode medir também, o Percentual de Gordura Corporal. Todas essas ferramentas são usadas para tentar calcular a porcentagem do corpo de alguém que é gordo.(2).

Finalmente, o médico pode querer solicitar exames de sangue para ajudar a descartar potenciais causas de excesso de peso, como os efeitos colaterais da medicação. O exame de sangue também verifica as preocupações de saúde relacionadas que muitas pessoas com obesidade mórbida podem ter.

Complicações

Quando uma pessoa é obesa mórbida, ela tem um risco aumentado de desenvolver doenças e condições adicionais. Estas condições relacionadas podem ser debilitantes ou mesmo mortais e incluem:

  • doença cardíaca
  • bem como, contagens anormais de lipídios no sangue
  • Diabetes tipo 2
  • questões reprodutivas
  • assim como, osteoartrite
  • síndrome de hipoventilação da obesidade
  • acidente vascular encefálico
  • apneia do sono
  • cálculos biliares
  • por fim, síndrome metabólica

Opções de tratamento da obesidade mórbida

Felizmente, existem várias opções de tratamento para uma pessoa com obesidade mórbida para escolher perder peso. Algumas dessas opções incluem:

Dieta e exercício

Nem sempre é fácil para uma pessoa perder peso com dieta e exercício, além disso, nenhum plano ou programa funciona para todas as pessoas (5).

Por isso, uma pessoa deve discutir planos de dieta e exercícios com seu médico ou nutricionista. Sendo assim, profissionais médicos podem ajudar a estabelecer pontos de partida razoáveis ​​e metas alcançáveis. Além disso, estar sob os cuidados de um médico pode ajudar a evitar problemas de excesso de exercício.

Além do mais, pessoas que têm obesidade mórbida podem ter dificuldade em se exercitar devido à mobilidade limitada. Diante disso, um médico ou fisioterapeuta pode sugerir exercícios que eles possam fazer com segurança.

Medicação para perda de peso

Medicamentos oferecem um meio menos confiável de perder peso do que mudanças na dieta. Uma vez que a pessoa pare de tomar uma medicação, ela provavelmente recuperará o peso, a menos que mudanças significativas na dieta e nos exercícios tenham sido feitas.

Existem vários medicamentos sem receita e suplementos disponíveis. No entanto, a maioria das vezes, os médicos não recomendam estes, porque suas alegações não são apoiadas pela pesquisa.

Cirurgia

Por fim, a cirurgia pode ser uma opção final para algumas pessoas que não tiveram sucesso com dieta e exercício. Um médico precisará discutir qual é a melhor opção de cirurgia para um indivíduo. Afinal, qualquer cirurgia vem com riscos, que devem ser considerados na decisão de se submeter a um procedimento.

Existem duas opções cirúrgicas usadas normalmente. Esses são:

  • Banda gástrica: É onde um anel é colocado ao redor do estômago, limitando assim, a quantidade de comida que pode entrar.
  • Bypass gástrico: Onde partes do estômago são contornadas, ou seja, dão uma sensação de saciedade.

Além do mais, se uma pessoa é bem sucedida em perder uma quantidade significativa de peso, eles também podem optar por ter uma cirurgia de remoção da pele, onde os cirurgiões removem o excesso de pele do corpo.

Prevenção da obesidade mórbida

No entanto, melhor que tratamento é a prevenção. A melhor maneira de prevenir a obesidade é através da dieta e exercício físico. Uma dieta saudável combinada com exercícios regulares, moderadamente intensos é ideal.

Sendo assim, uma pessoa deve procurar comer:

Frutas frescas não processadas, bem como vegetais de folhas verdes. Além disso, é necessário ter consumir quantidades limitadas de açúcar, assim como, número reduzido de calorias.

Por fim, para prevenir a obesidade é interessante que além da alimentação adequada pratique alguma atividade física regularmente. Isso pode ser caminhada, corrida, pular corda, andar de bicicleta, nadar, yoga ou outros exercícios, por 30 minutos, até cinco vezes por semana.

Se você quer prevenir a obesidade você pode também inserir na sua alimentação diária o consumo de chás. Confira algumas receitas!

Chás para evitar a obesidade mórbida
Chás para evitar a obesidade mórbida

Abraços e fique com Deus!

Dr. Juliano Pimentel

 

 

O Que Achou do Artigo? Deixe Sua Opinião Abaixo:
Tags : alimentaçãoalimentos industrializadoscausas da obesidadecombate à obesidadedepressãodiabetesdr. juliano pimentelemagrecerexcesso de gorduraganho de pesogordura viscerallow carbmuito pesoobesidadeobesidade e câncerobesidade mórbidapesosaúde

Autor Dr. Juliano Pimentel

Olá, eu sou o doutor Juliano Pimentel. Médico, fisioterapeuta e coach que ajuda as pessoas com conteúdos sobre saúde, alimentação e emagrecimento. Também sou celíaco e tenho uma vida de pesquisa sobre o Glúten.

Enviar Resposta