close
ArtigosDores

Intoxicação Alimentar: Causas, Sintomas e Tratamentos

Dr Juliano Pimentel

A intoxicação alimentar é causada pela ingestão de comida contaminada por organismos nocivos como bactérias, parasitas e vírus.

E é ideal buscar ajuda médica se os sintomas persistirem. 

Dependendo da causa e da saúde do organismo, os sintomas podem começar dentro de 2 a 6 horas da ingestão do alimento. Os sintomas mais comuns incluem vômito, náuseas, dor de cabeça e diarreia e podem durar até 8 dias.

Além disso, ela pode causar cansaço extremo, fraqueza e desidratação.

Veja nesse artigo, quais são as causas, sintomas e tratamentos da intoxicação alimentar.

Não deixe de ler e compartilhar.

O Que é Intoxicação alimentar?

A intoxicação alimentar é causada pela ingestão de alimentos que contém organismos prejudiciais ao nosso corpo, como bactérias, parasitas e vírus.

Eles são encontrados principalmente na carne crua, frango, peixe e ovos, mas podem se espalhar para qualquer tipo de alimento.

A contaminação pode ocorrer durante a manipulação, preparo, conservação e/ou armazenamento dos alimentos (1).

Na maioria das vezes, ela desaparece dentro de alguns dias, quando seu corpo se livra do germe que está causando a doença.

Mas em outros casos pode ser mais sério, sendo necessário orientação médica.

Nas crianças e idosos, a intoxicação alimentar pode ser um problema mais grave.

Causas 

Na maioria dos casos, a infecção bacteriana é a principal causa de intoxicação alimentar. Diferentes tipos de Salmonella e o Staphilococus aureus são os mais frequentes agentes da infecção, uma vez que são capazes de viver e multiplicar-se no interior dos intestinos.

A Salmonella é transmitida pela ingestão de alimentos, especialmente carne, ovos e leite, que foram contaminados ao entrar em contato com as fezes de animais infectados.

No caso dos Staphilococus aureus, comumente encontrado na pele das pessoas sem causar danos, a intoxicação é provocada por uma toxina que a bactéria produz e contamina os alimentos no momento de seu preparo ou manuseio (2).

Outra causa possível embora mais rara, é a infecção por um dos tipos da bactéria Clostridium, que ao invés de atacar o intestino, ataca o sistema nervoso.

Fatores de risco 

As pessoas com maiores riscos incluem (3):

>> Idosos: Durante a velhice, o sistema imunológico pode não responder de forma tão rápida e eficaz aos organismos infecciosos como quando era mais jovem

>> Mulheres grávidas: Durante a gravidez, alterações no metabolismo e na circulação podem aumentar o risco de intoxicação alimentar. Além disso, sua reação a um alimento contaminado pode ser mais grave durante a gravidez.

>> Bebês e crianças: Seus sistemas imunológicos não estão completamente desenvolvidos, por isso a chance de sofrer com intoxicação alimentar é maior.

>> Pessoas com doença crônica: ter uma doença crônica – como diabetes, hepatite ou AIDS – reduz sua resposta imunológica, aumento o risco de intoxicações.

Alguns fatores também aumentam o risco de contrair uma intoxicação alimentar, como:

>> Comer ou beber brotos crus, leite não pasteurizado e produtos lácteos fabricados a partir de leite não pasteurizado, como certos queijos;

>> Comer carne crua ou mal cozida;

>> Comer ou beber alimentos que foram contaminados durante o processamento, ou pelo descuidado no manuseio.

Sintomas da Intoxicação Alimentar

Independentemente do micro-organismo determinante, os efeitos da intoxicação alimentar aguda são todos parecidos.

Nos quadros mais graves, podem ocorrer desidratação, perda de peso e queda da pressão arterial.

Os sintomas da intoxicação alimentar geralmente afetam o estômago e intestinos, sendo que o sinal mais comum é a diarreia (4).

Outros sintomas incluem:

  •         Náusea;
  •         Vômitos;58
  •         Diarreia;
  •         Dor abdominal e cólicas;
  •         Febre.

Esses sintomas podem começar dentro de horas após a ingestão do alimento contaminado, mas pode demorar dias ou até mesmo semanas em alguns casos. Ela geralmente dura de um a 10 dias.

Nem toda intoxicação alimentar provoca cólicas, diarreia, náuseas e vômitos. Alguns tipos têm sintomas diferentes ou mais graves, que podem incluir fraqueza, dormência, confusão ou formigamento na face, mãos e pés.

Diagnóstico

Normalmente, o diagnóstico leva em conta os sintomas da doença. Exames de fezes ajudam a reconhecer o parasita que causou a infecção

Muitas vezes é possível diagnosticar intoxicação alimentar, observando outras pessoas que comeram a mesma coisa que você e também passaram mal.

Tratamento

O tratamento depende da origem da doença, se conhecida, e a gravidade dos seus sintomas. Para a maioria das pessoas, a doença se resolve sem tratamento dentro de poucos dias.

Fazer repouso e ingerir muito líquido é essencial.

Quando ir ao médico?

Nos casos de perda maior de líquidos e risco de desidratação, devem ser indicados medicamentos para controlar as náuseas e os vômitos, assim como ministrar a reposição de líquidos e sais por via endovenosa.

Já o tratamento das infecções alimentares bacterianas pode incluir o uso de antibióticos específicos, sempre com prescrição médica.

A desidratação severa ou infecção mais grave precisa de acompanhamento médico. Para todos os casos, procure atendimento médico. Em casos raros, a intoxicação alimentar pode resultar em insuficiência renal.

Prevenção

Algumas atitudes simples na hora de manusear o alimento podem ajudar a prevenir a intoxicação alimentar:

>> Lave bem as mãos, os utensílios e as superfícies com água morna e sabão antes e depois de manusear ou preparar alimentos.

>> Mantenha os alimentos crus separados de alimentos prontos para o consumo, isso impede a contaminação cruzada

>> Cozinhe os alimentos a uma temperatura segura.

>> Refrigerar ou congelar alimentos perecíveis até duas horas após comprá-los.

>> Descongele os alimentos com segurança. A maneira mais segura para descongelar alimentos é na geladeira. Manter água fria corrente sobre a comida também descongela com segurança.

>> Embale adequadamente os alimentos antes de colocá-los na geladeira ou no freezer.

>> Evite comer carne crua ou mal passada.

>> Mergulhe verduras e hortaliças que serão ingeridas cruas numa solução de água com vinagre.

É preciso muito cuidado na hora de manusear os alimentos para evitar os ricos de intoxicação alimentar.

Os principais sintomas incluem vômitos, náuseas e diarreia.

Caso você sofra com os sintomas de intoxicação, é importante repousar, se hidratar e procurar orientação médica.

Abraços e fique com Deus!

Dr. Juliano Pimentel.

O Que Achou do Artigo? Deixe Sua Opinião Abaixo:
Tags : alimentaçãobactériabactéria ClostridiumBebêscriançasdesidrataçãodestaquedoença crônicadr. juliano pimentelExames de fezesfatores de riscogravidezIdososinfecçãointoxicação alimentarmulheres grávidasparasitasSalmonellasaúdesistema imunológicosistema nervosoStaphilococus aureus

The author Dr. Juliano Pimentel

Olá, eu sou o doutor Juliano Pimentel. Médico, fisioterapeuta e coach que ajuda as pessoas com conteúdos sobre saúde, alimentação e emagrecimento. Também sou celíaco e tenho uma vida de pesquisa sobre o Glúten.

Enviar Resposta