close
Dores

Endometriose: Sintomas, Causas e Tratamentos

Dr Juliano Pimentel

A endometriose é um dos problemas de saúde mais comuns entre as mulheres, e uma das principais causas de infertilidade. Cerca de mais de 176 milhões de mulheres em todo o mundo sofram com os sintomas de endometriose.

Se você sente dor e desconforto na área reprodutiva, a endometriose pode ser a razão. A boa notícia é que existem soluções para tratar esta condição desconfortável.

Neste artigo, você vai saber o que é endometriose, quais são os sintomas e como tratá-la.

Não deixe de ler e compartilhar.

Endometriose e os Sintomas

A endometriose é uma condição em que o tecido, semelhante ao revestimento do útero, cresce em outras áreas do corpo.

O sistema reprodutivo feminino inclui a vagina, o útero, as trompas de falópio, a vulva e os ovários.

Durante um ciclo menstrual normal, os ovários produzem hormônios, que fazem o revestimento do útero engrossar.

Isso é chamado de endométrio – a membrana mucosa interna do útero. O endométrio acumula-se em preparação para receber um óvulo fertilizado. Se a fertilização no acontece, isso leva à menstruação, ou o derramamento do revestimento pelo canal vaginal.

A endometriose muitas vezes afeta os ovários, que está entre o útero e o reto, no final do intestino – e o tecido conjuntivo nesta área.

É quando os ovários ou as trompas de falópio são afetados, que as mulheres correm o risco de desenvolverem a fertilidade (1).

Os sintomas comuns da endometriose incluem:

– Fortes dores menstruais ou pré menstruais (também conhecidos como dismenorreia) ou períodos irregulares;

– Intercurso doloroso;

– Aumento da dor durante a evacuação;

– Aumento da dor durante a micção;

– Sangramento excessivo;

– Detecção e sangramento entre ciclos;

– Digestão dolorosa;

– Prisão de ventre;

– Náusea;

– Dor lombar crônica e dor abdominal;

– Dor pélvica;

– Infertilidade;

– Dor nas articulações;

– Dor nos nervos;

– Fadiga crônica;

– Inchaço.

Para muitas mulheres, a progressão dos sintomas da endometriose é lenta, desenvolvendo ao longo de muitos anos. Cada mulher experimenta uma gama diferente de dor, o que pode dificultar o diagnóstico.

A dor geralmente começa na parte inferior do abdômen, e se intensifica durante o período menstrual ou durante as relações sexuais.

Como a dor se torna mais grave, ela pode começar a irradiar através da barriga inferior, costas e pernas (2).

Fique atenta aos sintomas e procure orientação médica.

Exames Para Endometriose

Os exames de imagem são mais adequados para indicar a existência da endometriose, que será confirmada posteriormente por meio de exames laboratoriais mais específicos.

Entre os exames que podem sinalizar o problema, estão:

Ultrassonografia transvaginal – Procedimento que permite a identificação de endometriomas, aderências pélvicas e endometriose profunda.

Ressonância magnética – Apresenta melhores taxas de sensibilidade e especificidade na avaliação de pacientes com endometrioma e endometriose profunda.

Para identificar a existência da endometriose, outros exames complementares ainda podem ser solicitados pelo médico, como a ultrassonografia transretal, a ecoendoscopia retal e a tomografia computadorizada.

Após ser identificada alguma alteração, o médico poderá optar por realizar uma biópsia da lesão encontrada, para confirmar o diagnóstico. Essa avaliação será realizada por meio de exames chamados laparoscopia e laparopotomia.

Causas da Endometriose

A raiz da endometriose não está clara, mas pode ter causa hereditária.

Ela não é contagiosa, portanto, não pode ser transmitida através de relações sexuais e não faz parte das doenças sexualmente transmissíveis.

A endometriose é uma patologia que afeta as mulheres durante os anos reprodutivos.

Estimativas sugerem que 20% a 50% das mulheres que são tratadas por infertilidade têm endometriose.

Começar a menstruar muito cedo, atrasar a gravidez até a idade avançada, nunca ter dado à luz e a menopausa tardia também podem aumentar o risco de endometriose (3).

Existem algumas outras teorias referentes às causas da patologia.

Uma delas é que o fluxo menstrual é apoiado nas trompas de falópio, cavidade pélvica e abdominal durante a menstruação, fazendo com que o tecido endometrial cresça fora do útero.

Outra possível causa é a metaplasia celômica – quando áreas que revestem os órgãos pélvicos contêm células primitivas que podem crescer em outras formas de tecido, como as células endometriais.

A transferência direta de tecidos endometriais durante procedimentos cirúrgicos, também pode servir como uma explicação dos sintomas.  

Outro motivo pode estar relacionado à interação entre os hormônios femininos, ou o sistema imunológico.

O sistema imunológico garante que o tecido de um órgão, não cresça em outras partes do corpo; quando ele não funciona corretamente, o tecido endometrial pode crescer fora do útero.

Tratamentos da Endometriose

Confira a seguir maneiras simples e práticas para tratar a endometriose e aliviar os sintomas:

1-Alimentação de verdade

Ao tentar aliviar os sintomas da endometriose naturalmente, comece por eliminar os alimentos que causam inflamação.

Isso inclui laticínios, alimentos processados, açúcares refinados, cafeína e carboidratos. Elimine estes alimentos de sua dieta por pelo menos três semanas, prestando muita atenção ao seu corpo mudando ao longo do processo.

Álcool, soja e outros alimentos de alto estrogênio também devem ser evitados em sua dieta por causa de seus efeitos estrogênicos.

É importante seguir uma dieta anti-inflamatória quando se lida com endometriose. Isso inclui os seguintes alimentos:

– Vegetais de folhas verdes;

– Aipo;

– Beterraba;

– Brócolis;

– Amoras;

– Salmão;

– Abacaxi;

– Caldo de osso;

– Nozes;

– Óleo de coco;

– Açafrão;

– Gengibre.

Os alimentos ricos em magnésio também ajudam a aliviar os sintomas no útero e reduzir a dor. Estes incluem abacate, amêndoas, bananas, acelga e espinafre.

Os alimentos ricos em ferro são importantes também porque reabastecem a perda de ferro no corpo, que é resultado do excesso de sangramento.

Alguns alimentos que contêm ferro incluem fígado, bife de carne, espinafre, gema de ovo, ameixas secas, alcachofras e couve.

Além disso, você pode reduzir a inflamação, aliviar dores articulares e musculares, e regular a produção de hormônio com omega-3.

Adicione nozes, salmão, truta, atum, sardinhas, anchovas, semente de chia, óleo de peixe, semente de linhaça, nozes e cavala à sua dieta.

2-Acupuntura

Um estudo realizado na Faculdade de Medicina de Harvard, descobriu que a acupuntura pode ser uma terapia eficaz, segura e bem tolerada para a dor pélvica relacionada à endometriose.

Para o estudo, foram analisadas 18 mulheres jovens com idades entre 12 e 22 anos, com dor pélvica crônica relacionada à endometriose.

As participantes do grupo de acupuntura ativa tiveram 62% menos dor após quatro semanas, o que diferiu significativamente da redução média do grupo de controle (4).

Ela é muito comum entre as mulheres e uma das principais causas de infertilidade. 

Para melhorar os sintomas, faça mudanças na sua alimentação, no estilo de vida e procure orientação médica.

Prevenção da Endometriose

Não há como prevenir a endometriose. De maneira geral, recomenda-se manter hábitos saudáveis, como uma dieta equilibrada, sono regular, praticar atividades físicas e evitar  estresse. Ter filhos mais cedo e amamentar também são fatores protetores.

Veja também o vídeo:

Como Controlar as Inflamações do Seu Corpo

E se você deseja melhorar a saúde através da alimentação saudável, eu tenho uma notícia!

Eu desenvolvi um e-book para ajudar você a fazer essa transformação, com todas as informações que você precisa e um guia passo a passo para implementar na sua vida.

Tenha Acesso Aos Bônus Exclusivos.

Clique na imagem abaixo e adquira agora o meu livro digital:

VIVA MELHOR SEM GLÚTEN V 2.0

Ebook Viva Sem Glúten, Dr. Juliano Pimentel

Abraços e fique com Deus!

Dr. Juliano Pimentel.

O Que Achou do Artigo? Deixe Sua Opinião Abaixo:

Você pode Gostar

Tags : alimentaçãoalimentos ricos em ferroaliviar dores articularesCausas da Endometriosecélulas endometriaisciclo menstrualdestaquediagnósticodieta anti-inflamatóriadismenorreiadoenças sexualmente transmissíveisDor pélvicadr. juliano pimentelendométrioendometriosefadiga crônicafertilizaçãohormônios femininosInfertilidademenstruaçãometaplasia celômicamulherováriosprisão de ventrerelações sexuaisSangramento excessivosaúdesintomas de endometrioseTratamentos da Endometriosetrompas de falopioúterovaginaVIVA MELHOR SEM GLÚTEN V 2.0vsg

The author Dr. Juliano Pimentel

Olá, eu sou o doutor Juliano Pimentel. Médico, fisioterapeuta e coach que ajuda as pessoas com conteúdos sobre saúde, alimentação e emagrecimento. Também sou celíaco e tenho uma vida de pesquisa sobre o Glúten.

Enviar Resposta